COMO ESTRUTURAR POSTAGENS REUTILIZANDO CONTEÚDOS

reutilizando

Você sabia que pode revolucionar as estratégias de marketing de conteúdo reutilizando conteúdos antigos ou adaptando para outros formatos?

Reutilizando conteúdos, você aproveita assuntos relevantes em vários formatos e com isso atinge novos públicos apenas mudando um layout ou plataforma onde o conteúdo foi postado. 

A reutilização de um conteúdo é ótimo para utilizar uma pesquisa já realizada para produzir novos materiais com o mesmo tema – o que facilita o trabalho no marketing de conteúdo e amplia a presença de sua empresa no digital.

Um processo de reutilização impacta positivamente no tempo e no custo de trabalho, o que permite a publicação de novos conteúdos com mais frequência, mantém o seu público mais engajado com a sua marca, além de atrair novas pessoas ao oferecer uma diversidade de formatos. Consequentemente isso melhora a sua posição em resultados orgânicos nos motores de pesquisa, como o Google.

Entenda melhor o processo de reutilização de conteúdos a seguir:

Como melhorar o marketing da sua empresa reutilizando conteúdos?

Não basta criar um conteúdo de qualidade se ele não está no formato certo que agrade o cliente. Sendo assim, a melhor estratégia é criar em vários formatos, reutilizando conteúdos com temas semelhantes.

Por exemplo: você criou um artigo muito extenso e detalhado sobre determinado assunto. Alguns leads podem gostar desse formato, mas outros têm pouco interesse. Então por que não criar um vídeo para IGTV reutilizando esse mesmo conteúdo do artigo? 

Dessa forma você oferece conteúdos valiosos, de maneira acessível a todo seu público – o que consequentemente contribui para que seu engajamento aumente ao estar presente em várias plataformas.

Os formatos que você pode explorar são:

Estude cada um desses formatos para entender como reaproveitar os conteúdos criados para eles, entender cada um desses formatos ajuda a saber como cada conteúdo que você produz pode ser reaproveitado.

Essa estratégia de marcar presença em diversas plataformas diferentes reutilizando conteúdos é muito rentável, pois você consegue mais resultado com menos esforço, visto que não precisará despender tanto tempo pensando em novas ideias de conteúdo.

Reutilizando conteúdos: top-down e bottom-up

No marketing de conteúdo existem 2 estratégias para reutilizar conteúdo de valor: os modos top-down e bottom-up. Entenda a seguir como eles funcionam:

Top-down

Nessa estratégia, você deve primeiramente ter um conteúdo extenso e reutilizá-lo criando conteúdos menores a partir dele.

Por exemplo: um vídeo ou live pode se transformar em pequenos trechos cortados para se tornarem reels no instagram ou vídeos para feed de até 1 min. Você poderia também transformar em conteúdos escritos, como posts carrossel.

Bottom-up

Já o bottom-up é o contrário: nesse modo você deve pegar vários conteúdos simples com o mesmo tema, e transformá-los em um só.

Um bom exemplo é quando você tem vários artigos de blog sobre determinado tema. Pode ser uma boa ideia juntar todos em um ebook.

3 dicas para melhorar sua estratégia reutilizando conteúdos

O processo de reutilizar conteúdos é simples, desde que você mantenha um fluxo de produção muito bem organizado e estruturado. Vamos te ajudar nesse procedimento com 3 dicas valiosas:

  1. Antes mesmo de começar a criar um conteúdo, pense em quais outros formatos você pode aproveitar. Faça uma lista para que, dessa forma, você consiga derivar esse conteúdo quando estiver pronto.
  2. Tenha esses conteúdos reutilizados inseridos no seu calendário editorial. Assim você vai lembrar dos conteúdos a serem reaproveitados e determinar uma data para isso.
  3. Se você já tiver um volume grande de conteúdos para reutilizar, é muito importante ter uma tabela contendo assunto, link e formatos para produzir com todos eles para não acabar perdendo nada.

Siga essas dicas e, dessa maneira, consiga produzir conteúdos cada vez mais relevantes para atrair leads e conseguir novas vendas!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

OS ERROS MAIS COMUNS DOS INICIANTES EM MARKETING DE CONTEÚDO

comunicação marketing digital

Se você está começando a migrar seu negócio para o digital, é muito comum não ter todo o conhecimento existente sobre estratégias, técnicas e tendências do marketing digital. Dessa maneira, cometer os erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo é algo totalmente normal.

Acesse nosso conteúdo e entenda o que é marketing de conteúdo!

Tendo em vista a dificuldade dos novos empreendedores no que diz respeito à utilização do marketing de conteúdo para suas empresas, separamos alguns erros que, embora comuns, precisam ser corrigidos para que sua empresa atinja os resultados esperados.

Confira abaixo os 6 erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo:

1° erro mais comum dos iniciantes em marketing de conteúdo: Não definir suas Personas

O marketing de conteúdo, é, sobretudo, uma forma de gerar conteúdo de valor para um determinado público. Contudo, como você poderá saber se o conteúdo que produz é relevante sem conhecer o público ideal de sua empresa?  

É importante fazer um estudo de como se comporta e quais são os interesses do seu público-alvo, e dessa forma, montar uma persona – a representação semi-fictícia do seu cliente ideal.

Para criar a persona defina os seguintes tópicos:

  • Qual a sua profissão?
  • Qual a sua idade?
  • Que tipo de conteúdo consome na internet?
  • Quais são suas dores?
  • Quais as maiores dúvidas em relação ao seu produto ou serviço?
  • Como sua empresa pode ajudar essa persona?

Com base nessas características, crie sua persona. Ela é quem determinará as estratégias de marketing de conteúdo usadas por sua empresa.

Ter uma (ou mais) personas para sua empresa é essencial para definir como o seu estilo de conteúdo será estruturado, afinal, se o seu objetivo é prender a atenção do público-alvo, você deve se comunicar como ele.

2. Não ter um cronograma de conteúdos

Manter uma estratégia de marketing de conteúdo efetiva exige planejamento prévio.

As pautas para blog e redes sociais precisam estar de acordo com cada fase do funil de vendas e além disso, desenvolver os conteúdos com qualidade levam um certo tempo.

Sendo assim, não ter um calendário mensal com todos os conteúdos produzidos para cada canal de comunicação é um erro gravíssimo, pois é a partir dele que você irá definir um tema específico para cada momento da jornada de compra do cliente.

Portanto, todo mês crie um calendário com o tema do conteúdo, fase do funil, palavra-chave, data e onde será postado. Assim, sua equipe terá como planejar tempo para produção e o conteúdo ficará melhor segmentado.

3. Não Monitorar Palavras Chave

Tanto para o marketing de conteúdo quanto para o tráfego pago, as palavras-chave são essenciais para alcançar o seu público-alvo. Através delas seus conteúdos os mecanismos de busca encontrarão seus conteúdos.

Se sua empresa não faz uma pesquisa de palavras-chave, esse pode ser o motivo pelo qual as estratégias não estão surtindo efeito.

Boas ferramentas de pesquisa de palavras-chave são: Google Trends, SemRush e Ubersuggest.

Outra estratégia é sempre monitorar as principais palavras-chave que seus concorrentes utilizam. No caso das redes sociais, sempre observe as hashtags mais recorrentes nos posts.

4. Não postar frequentemente

Uma das maiores armas para ter sucesso com conteúdo na internet é a consistência. Em qualquer rede, YouTube, Instagram ou Facebook, a consistência faz os algoritmos alavancarem o seu conteúdo e trazer relevância. Sendo assim, no seu site ou blog não poderia ser diferente – marketing de conteúdo exige frequência de postagens.

Portanto, mantenha a consistência em dia, pois dessa forma sua empresa terá mais chances de ser vista e atrair um futuro cliente.

O recomendável é produzir, no mínimo, duas postagens semanais de pelo menos 600 caracteres.

5. Produzir conteúdos pouco relevantes

Aqui entra um ponto muito importante: a autenticidade. Ser autêntico nos seus conteúdos é criar algo unicamente da sua empresa, é criar conteúdo que as pessoas vejam originalidade.

Ou seja: Não adianta criar só por criar. Se você encarar esse papel só como obrigação, quem perde é a sua empresa.

Então, se você está realmente disposto e acredita no diferencial do seu negócio, mostre isso para o seu futuro cliente. Seu conteúdo precisa ser autêntico e, principalmente, precisa solucionar dúvidas, ser informativo e eficaz.

6. Não Investir em novos formatos e canais

Este erro é muito comum, já que é natural permanecermos na nossa zona de conforto. Mas, você não deve se prender apenas aos tradicionais artigos de blogs ou e-books.

Temos diversas outras plataformas de conteúdo disponíveis, como o YouTube, TikTok, Instagram, Twitter. Cada um deles tem sua própria linguagem e cabe a você identificar qual se encaixa mais na sua proposta. O TikTok, por exemplo, já tomou espaço com seus vídeos curtos e bem humorados.

E não para por aí: há também os podcasts, que se tornaram tendência atualmente. Muitas pessoas consomem esse formato de conteúdo e pode ter certeza que gente para te ouvir não falta.

Bônus: erro mais comum dos iniciantes em marketing de conteúdo

Não caprichar nos conteúdos porque “dá muito trabalho”! Sim, criar conteúdo dá trabalho. Mas enquanto você não ousar e continuar produzindo materiais sem profundidade, a concorrência irá ultrapassar seu negócio. Por isso, é muito importante dedicar um certo tempo para produzir e planejar conteúdos originais que ficarão na mente do possível cliente. Existem profissionais e agências especializadas em produção de conteúdo, planejamento e criação de calendários editoriais, como a Gama.

Fazendo parceria com uma agência, você terá mais tempo para focar na prospecção e não sofrerá mais o risco de cometer os erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo!

COMO PRODUZIR CONTEÚDO NAS REDES SOCIAIS EM 6 PASSOS

Produzindo conteúdo para redes sociais

Produzir conteúdo nas redes sociais se tornou a estratégia primordial para conquistar clientes e realizar vendas com o marketing digital. Entretanto, com a explosão dos negócios digitais no mundo durante a pandemia, a concorrência disparou e como consequência disso, veio a necessidade de se manter em destaque.

Mas como produzir conteúdo nas redes sociais que seja relevante e realmente engaje o público? Acompanhe a seguir nosso passo a passo para produzir conteúdo nas redes sociais e faça sua empresa sair na frente da concorrência:

1 – Planejamento para produzir conteúdo nas redes sociais

Para montar um planejamento de redes sociais, você precisa, antes de mais nada, ter uma estratégia de marketing bem definida. Afinal, as duas coisas estão diretamente ligadas.

Esse planejamento de marketing se dá por 4 etapas:

  • Posicionamento
  • Público
  • Objetivos
  • Recursos

Determine bem esses tópicos, para que sua marca se comunique de acordo com a estratégia.

Ou seja, o conteúdo nas redes sociais deve se basear no que seu público gosta de consumir e, com isso, você pode atingir os objetivos que deseja, como: engajamento, adquirir uma base de leads para venda, prestar suporte, tráfego para o site, etc. Tudo isso utilizando com os recursos que possui.

Além desses 4 pilares, há duas perguntas  que você precisa se fazer para definir a linha editorial que suas redes sociais vão seguir:

  • Quais resultados pretende alcançar ao produzir conteúdo nas redes sociais?
  • Como a presença da minha marca em uma determinada rede social irá contribuir com os objetivos de marketing?  

Com todas as questões acima bem definidas, podemos partir para o próximo passo:

2 – Defina quais serão as redes sociais usadas

Para este passo, é fundamental ter uma persona bem definida,

Cada rede social possui recursos, formatos e linguagens diferentes entre si e por isso cada uma delas exige formas distintas para produzir conteúdo. Alinhando suas metas ao perfil do seu público, você consegue definir quais são as redes sociais mais adequadas ao seu tipo de negócio.

Pesquise quais as redes sociais mais utilizadas por sua persona e foque seu conteúdo nelas.

Por exemplo: se o seu público tiver um perfil mais jovem, estude sobre redes sociais como TikTok, Twitter e como produzir o conteúdo certo para seu tipo de segmento.

Agora, se a sua empresa é do segmento B2B, o LinkedIn é a rede social mais indicada para montar um planejamento de conteúdo.

3 – Monte um calendário para produzir conteúdos nas redes sociais

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada rede social.

Ele é essencial para organizar o fluxo de conteúdo postado nos dias, horários e canais definidos.

Todas as redes sociais exigem uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

4 – Pesquise temas interessantes para o público

Ter ideias para produzir conteúdo nas redes sociais não é tarefa fácil, principalmente quando se tenta conseguir uma inspiração do absoluto zero.

Para esses momentos, um site muito útil é o Answer The Public. Ele usa o Google Suggest  para encontrar perguntas específicas que as pessoas podem ter em relação a uma determinada área ou palavra-chave.

Answer the Public auxilia a produzir conteúdo para redes sociais
Site filtra e cruza os melhores resultados para suas palavras-chave no Google.

Ou seja: digitando uma palavra-chave específica como “maquiagem”, a ferramenta encontrará uma série de perguntas relacionadas ao tema, por exemplo: como fazer maquiagem para festa?

A partir dos resultados você terá uma infinidade de temas para explorar, afinal, são dúvidas frequentes do seu próprio público, que certamente terão interesse pelo conteúdo.

5 – Reutilize conteúdos que já possui, na hora de montar um planejamento para redes sociais

Hoje em dia muitas empresas utilizam no marketing digital a estratégia chamada derivação de conteúdo, que é, basicamente, reaproveitar conteúdos que você já produziu.

Uma live pode virar pequenos trechos de IGTVs, TikToks ou até mesmo posts em carrossel com a transcrição do conteúdo.

Você também pode fazer uma curadoria de posts antigos que tiveram um bom engajamento e repagina-los para postar novamente, com uma nova arte e/ou texto.

6 – Analise os resultados e faça uma gestão dos conteúdos

Mesmo que você tenha feito um calendário de posts, talvez a demanda de conteúdos seja muito grande para que uma pessoa poste manualmente nas redes sociais.

Desse modo, existem várias plataformas de agendamento de posts. Com elas você pode definir a data, o horário, descrições, imagens e vídeos do post.

O Mlabs e o próprio Estúdio de Criação do Facebook, por exemplo, podem fazer isso.

A vantagem dessas plataformas é a possibilidade de analisar métricas das suas redes sociais, definindo os melhores dias e horários, quais posts tiveram bons e péssimos resultados bem como o tipo de conteúdo que gera mais engajamento do seu público.

A partir desses dados, é possível acompanhar o tipo de conteúdo que funciona com o público e definir o que manter, bem como o conteúdo que deve ser reformulado.


Produzir conteúdo nas redes sociais pode parecer simples, mas é um processo extremamente trabalhoso se você tem o intuito de gerar proximidade com o cliente.Sendo assim, você pode realizar esse serviço em conjunto com uma Agência de Marketing parceira, como a Gama!

COMO FAZER MARKETING DE CONTEÚDO PARA NEGÓCIOS B2B?

grupo de empreendedores - negócios b2b

Quando se fala em marketing de conteúdo, é comum pensarmos apenas no B2C, ou seja: foco no consumidor final. Entretanto, ter uma estratégia de marketing de conteúdo para negócios B2B também pode ser um grande diferencial para empresas desse nicho vencerem  a concorrência.

Segundo esta pesquisa de 2019, 30% dos usuários de internet utilizam bloqueador de anúncios. Por esse motivo, tanto empresas B2C bem como B2B precisam apostar em outras alternativas de marketing digital além do tráfego pago.

A principal diferença entre o marketing de conteúdo B2C para o B2B, está na complexidade da jornada de compra. Enquanto o caminho trilhado no B2C é mais simples e rápido, o B2B é mais extenso: o funil de vendas para esse nicho pode levar meses para nutrir um cliente em potencial.

Contudo, a ideia central do marketing de conteúdo para B2B permanece a mesma: fornecer informações de qualidade para engajar possíveis clientes.

Leia a seguir como fazer um marketing de conteúdo eficiente para negócios B2B: 

Vantagens do marketing de conteúdo para negócios b2b

O marketing de conteúdo é a maneira mais eficiente de gerar autoridade para sua marca e, assim, adquirir a confiança do cliente.

Dentre as inúmeras vantagens, as principais são:

Geração de Leads

Um lead é o potencial cliente de seu negócio. É aquela pessoa que em algum momento teve interesse nos seus conteúdos e/ou serviços, por isso é muito propensa a contratar seu negócio.

O segredo para conseguir leads está no marketing de conteúdo porque oferecendo algo de valor ao possível cliente (um ebook, mentoria, newsletter, etc) em troca você consegue dados como email, número de telefone e outras formas de contato.

Ou seja: você consegue o contato de pessoas que já possuem interesse no que sua empresa oferece, o que facilita muito a prospecção de clientes. 

Atração do público correto

Complementando o tópico anterior, ao conseguir leads qualificados com  estratégia de marketing de conteúdo para negócios B2B você passa a entender quem é seu cliente ideal.

Ao estudar o público de sua marca e entendendo suas preferências, os conteúdos terão mais qualidade e, consequentemente, atrairão mais pessoas.

Fidelização de clientes

Quando sua empresa demonstra conhecer seu público e suas dores a partir do marketing de conteúdo, os clientes tornam-se fiéis à marca.

Primeiros passos no planejamento do marketing de conteúdo para negócios b2b:

Antes de começar a planejar o marketing de conteúdo para negócios b2b, existem questões muito importantes que precisam ser levadas em conta para que os conteúdos postados efetivamente atraiam o público ideal para sua empresa. Confira alguns:

Entenda o problema do cliente

O primeiro e mais importante passo, é saber o que de fato seu cliente precisa. Afinal, somente dessa forma será possível criar um conteúdo focado em mostrar que sua empresa tem a solução para as dores desse cliente.

Estude o mercado, veja o tipo de conteúdo criado por concorrentes, peça feedbacks do serviço, crie uma persona, e, dessa forma, você terá um direcionamento para criar conteúdos que geram resultados.

Organize seu tempo para criação de conteúdo

Criar conteúdo envolve uma longa pesquisa de referências, brainstorms, sem contar o processo de execução. Por isso, separe um bom espaço de tempo para esse planejamento, crie prazos e uma linha editorial. É preciso entender que conteúdos de qualidade exigem paciência, planejamento e tempo.

Crie um calendário de conteúdo

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada canal de comunicação. Ele é muito útil para manter a organização do marketing de conteúdo e colocar as estratégias em prática.

Para montá-lo você precisa:

  • Definir o canal
  • Definir os dias da semana em que terão posts
  • Estabelecer o horário dos posts
  • Escolher o tipo de conteúdo

Cada plataforma exige uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

Principais estratégias para Marketing de conteúdo B2B

Cases de sucesso

Deixar o público saber que as pessoas utilizam e recomendam sua empresa é essencial para gerar uma boa impressão.

Poste feedbacks positivos com frequência nas redes sociais e mostre que com sua marca as pessoas atingem os objetivos que desejam.

Notícias e atualizações

Tenha o costume de compartilhar notícias e informações a respeito do seu nicho. Além de manter o público atualizado, isso mostra que sua empresa está sempre atenta às mudanças e reinvenções do mercado.

Para isso, um blog é muito importante, pois servirá como um portal onde seu público poderá acessar quando quiser determinada informação.

Guias e dicas

O marketing de conteúdo tem como premissa gerar informações de valor a fim de conquistar o cliente.

Entendendo quais são as dores desse possível cliente, a melhor forma de conquistá-lo é oferecendo uma solução simples.

Sendo assim, crie ebook, artigos, vídeos ou até mesmo posts contendo dicas ou o passo a passo para resolver determinados problemas.  

Negócios b2b também podem ter estratégias de marketing de conteúdo

Agora que você já sabe como fazer o marketing de conteúdo ideal para negócios B2B, aprenda aqui como criar anúncios para esse segmento e conquiste cada vez mais clientes!

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Adoramos feedbacks e também gostaríamos de colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

REELS DO INSTAGRAM: 4 MOTIVOS PARA SUA EMPRESA ADERIR AGORA

O Reels do Instagram, à primeira vista, parece ser algo apenas a fim de promover um entretenimento passageiro ao usuário que assiste, mas na realidade é um recurso poderoso para mostrar de forma criativa o que sua empresa tem a oferecer ao cliente.

É fato que a tendência dos vídeos curtos como estilo de produção de conteúdo só tem aumentado na internet e, portanto, sua empresa não pode ficar de fora.

Com o Reels do Instagram, o seu empreendimento reforça a presença no meio digital e pode até até mesmo atingir um novo público.

Para te convencer de que o Reels do Instagram deve ser incluído na sua estratégia de marketing AGORA, saiba um pouco mais sobre a ferramenta:

Como funciona o Reels do Instagram?

O Reels permite a criação de vídeos de até 30 segundos e incluir músicas ou sons originais do catálogo do Instagram.

Ele é um forte concorrente do aplicativo TikTok, outra rede social com o mesmo estilo de vídeos curtos, mas voltada para o público jovem.

Entretanto, você deve estar se perguntando: qual a diferença entre o Reels do Instagram e o Stories, da mesma plataforma?

As principais diferenças entre o Reels e os Stories, são que os Reels aparecem no feed e possuem uma gama de efeitos especiais que você pode incluir no vídeo, como:

  • Ajuste de velocidade do vídeo (timelapses);
  • Dublagem de músicas ou falas
  • Realidade aumentada;
  • Alinhamento de cenas;
  • Adesivos e legendas para momentos específicos do vídeo.

Ou seja, as possibilidades de utilizar o Reels como estratégia de marketing para sua empresa são praticamente infinitas, basta usar a criatividade e analisar quais ideias podem trazer mais clientes para seu negócio e engajamento para seu Instagram.

Agora saiba os motivos para você aderir à criação de conteúdo para Reels no Instagram:

É uma ferramenta prática

Você provavelmente já tem um perfil no Instagram para sua empresa, por isso, deve aproveitar ao máximo tudo o que a rede social tem a oferecer.

Sendo assim, a praticidade do Reels está justamente no fato dele já estar inserido em uma plataforma tão utilizada quanto o Instagram. Não é preciso que o público baixe um novo aplicativo e adapte-se a ele.

Basta criar um vídeo e ele aparecerá automaticamente no feed de seus seguidores,

Faça parceria com influenciadores digitais

A estratégia do momento tanto para grandes marcas do mercado quanto para as menores e fazer parcerias com influenciadores digitais.

Por estarem mais familiarizados com as ferramentas e novidades digitais, eles podem produzir conteúdos com mais facilidade diretamente na página de sua empresa ou até mesmo no perfil pessoal dos mesmos.

Uma notícia do The Wall Street Journal, mostra que os influencers são o centro das estratégias do Instagram quanto à produção de conteúdo para Reels.

De acordo com a notícia, o Instagram pretende levar os usuários de seu concorrente, o TikTok, para o Reels, oferecendo até mesmo propostas financeiras para isso.

Sendo assim, o Reels do Instagram já é uma ferramenta rentável aos influenciadores. Quando uma empresa faz parceria com eles, os dois lados saem ganhando.

Por exemplo, caso você tenha uma loja de roupas, você pode procurar por influencers de moda na sua cidade e fechar uma parceria para divulgação de suas peças.

Isso atrai a atenção dos seguidores do influencer, que já possuem interesse em assuntos de moda.

O Reels do Instagram é sua oportunidade de usar a criatividade

Atualmente, o Reels do Instagram já deixou de ser uma “cópia” do TikTok. Os produtores de conteúdo da plataforma já estão criando estilos de vídeo cada vez mais originais e com propósitos distintos da outra plataforma.

O Reels pode ser usado, por exemplo, para criar prévias dos conteúdos para IGTV, apresentações de novos produtos ou serviços com vídeos mais produzidos do que seriam nos Stories, por exemplo.

Há uma infinidade de possibilidades dentro do Reels, basta soltar a imaginação e começar a criar.

Faça anúncios sem precisar do tráfego pago com o Reels do Instagram

Com 30 segundos, é possível criar propagandas fantásticas para divulgar seu negócio.

Dessa forma, Reels do Instagram permite que você crie anúncios de maneira que não explícita, ao contrário dos anúncios pagos de posts e stories.

Criando uma boa estratégia para anunciar seus produtos e serviços através do Reels, seus seguidores nem perceberão que estão diante de uma propaganda.

Novamente, use a criatividade e veja seus números crescerem cada vez mais! 

Exemplos de empresas que utilizam o Reels do Instagram

Pizza Hut

A Pizza Hut utiliza o Reels do Instagram para postar vídeos no estilo de propagandas tradicionais.

Mesmo com o estilo despojado de um vídeo editado “em casa”, essa propaganda segue a identidade visual da empresa, já reconhecido quando se vê uma peça publicitária na televisão, por exemplo.

Essa estratégia é vantajosa para quem não deseja investir muito em tráfego pago mas ainda assim quer converter clientes através de anúncios – porém de maneira orgânica. Observe também que a empresa faz parceria com influencers.

Renner

A loja de roupas Renner, neste Reels utilizou uma técnica muito popular de realizar transições criativas para mostrar as peças da coleção de verão. Além disso, também costuma fazer parceria com influencers.

Para empresas do segmento de vestuário e cosméticos, esse modelo de Reels gera um ótimo engajamento. E a grande vantagem é saber que este formato sempre funcionou quando nem existiam redes sociais.

Valida-se na atuação nos stories (até 15 segundos) e aí a escolha pelo formato dos vídeos no Reels é certeira.

Lola Cosmetics

A marca de cosméticos veganos Lola Cosmetics optou por um estilo de criação mais simples, apenas mostrando seus produtos em um ambiente agradável, com um efeito e música de fundo, combinando com a identidade natural da marca.

Caso o público-alvo de sua empresa tenha preferência por conteúdos simples e objetivos, este é um bom exemplo de como criar conteúdo para o Reels do Instagram.

Sem cair em “modinhas” ou tendências de outros perfis, a Lola mostra sua cara. Inclusive na legenda, nada mais direto né?!

Avon

A Avon aderiu à famosa técnica de combinar transições criativas (como a Renner) com um storytelling em texto acompanhando a evolução da maquiagem na influencer.

No exemplo, a influencer relaciona suas expectativas para 2021 com a sua maquiagem, mas nesse estilo de Reels você é totalmente livre para criar qualquer história ou mensagem que deseja transmitir.

Esse modelo de conteúdo é extremamente comum entre Influencers e marcas de maquiagem ou cosméticos em geral. Quanto mais criatividade nas histórias e transições, mais engajamento o Reels recebe.

Red Bull

A Red Bull, marca já conhecida por patrocinar diversas categorias de esporte, segue essa mesma linha em seus Reels.

Mesmo não divulgando diretamente seu produto, esse conteúdo é criado com a finalidade de gerar identificação com seu público-alvo: os praticantes de esportes radicais.

Eventualmente, é natural que a empresa utilize alguns dos produtos em vídeos do Reels, mas a conduta da empresa tem mostrado uma abordagem mais aberta e “não vendável”, o que não é tão simples.

Importante seguir acompanhando, porque sabemos que Red Bull é sempre tendência.


Comece agora mesmo na sua empresa

Por fim, você observou que o Reels do Instagram é mais que uma simples ferramenta de entretenimento da rede social.

Além de ser uma ferramenta extremamente criativa e divertida para interagir com o público, é um meio de mostrar a identidade de sua marca, bem como ressaltar o cuidado da empresa em sempre inovar.

Por isso, comece agora a incluir o Reels do Instagram na estratégia de marketing de seu negócio e obtenha resultados surpreendentes!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Adoramos feedbacks e também gostaríamos de colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

6 ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL NO LINKEDIN

Linkedin app

Maior rede social de negócios do mundo, o Linkedin oferece diversas opções de estratégias de Marketing Digital que devem ser levadas em conta ao explorar tudo que essa plataforma oferece. Ainda não faz parte dessa rede? Então bora saber como fazer!

É simples: quando você identifica onde seu potencial cliente está, é para lá que você deve ir. Essa máxima vale tanto para lojas físicas quanto para o mundo digital. Cada vez mais, as marcas investem em presença online e têm obtido retornos excelentes. Mas, claro, tudo deve ser feito com o devido planejamento e com o cuidado para não “meter os pés pelas mãos”.

Perfil pessoal ou conta empresarial? Como descubro se meu público está no Linkedin? É igual ao Facebook e o Instagram? Essas e outras diversas perguntas surgem aos montes nos contatos que temos com possíveis clientes e nos atendimentos dentro dos Workshops que a Gama ministra. E é sobre tudo isso que a gente vai falar agora!

O que é o Linkedin?

Para começar, vamos te explicar desde o começo. Provavelmente você nem saiba, mas o Linkedin surgiu em 2003. Isso mesmo, há 17 anos, amigos perceberam que ainda não existia um ambiente online focado em relacionamentos voltados para o mercado de trabalho. A partir de então, convidaram 300 participantes para o teste e fundaram o LinkedIn.

Mesmo demorando para emplacar aqui no Brasil, o Linkedin se consolidou mundialmente há bastante tempo e tem crescido na preferência das empresas por aqui. Há diversas opções de uso e principalmente de estratégias de Marketing Digital para Linkedin. Prova disso é o relatório Social Media Trends, estudo da Rock Content que mostra o aumento dos números desta plataforma.

Marketing Digital: destaque para o Linkedin na Evolução da presença das empresas nas redes sociais
Crescimento do Linkedin é alto entre 2017 e 2019. A tendência é de sequência desse aumento em 2020.

A rede surgiu para ajudar profissionais ao redor do mundo a compartilhar informações sobre suas carreiras e, assim, tentar se inserir no mercado, seja se apresentando para novos empregos ou mesmo ampliando a presença digital da sua empresa. Atualmente, conta com mais de 550 milhões de usuários ativos.

Uma das provas do sucesso do Linkedin na área corporativa é a plataforma de vagas, chamada LinkedIn Job Search, que é uma das principais formas de contratação de muitas empresas.

Quais são as ferramentas oferecidas no Linkedin?

Bom, se você ainda não conheceu o Linkedin, ao abrir a plataforma você vera um layout e encontrará funcionalidades muito parecidas com outras plataformas, principalmente como o Facebook. Para iniciar, você escolherá uma foto, definirá nome e a descrição da página, colocará sua localização, sites e/ou outras redes sociais.

Uma diferença muito importante na rede é a existência de perfis pessoais e Company Pages (que seriam as Fanpages do Facebook). No caso de empresas, indicamos seguir a segunda opção. As Company Pages contam com uma série de informações e relatórios estratégicos entregues pelo próprio LinkedIn sem custo algum. Com eles, será possível analisar pontos positivos ou questões a serem melhoradas na gestão da página.

Perfil pessoal no Linkedin

Se você não é dono de um negócio ou não gerencia uma empresa, seu uso do Linkedin será limitado a relacionamentos profissionais com outras pessoas interessados nos mesmos assuntos, além de busca de emprego ou intercâmbio de conteúdo. E, além disso, se você tem um negócio é importante que seu perfil pessoal seja bem interessante, afinal você é a sua empresa. Então, lá vão algumas dicas rápidas para você criar um perfil pessoal atraente:

  • Prefira mostrar o que você sabe, ao invés de somente escrever (a não ser que sua expertise seja a escrita 😊)
  • Peça recomendações de amigos, conhecidos e parceiros comerciais que tenham relacionamento com seu segmento de atuação.
  • Otimize as palavras e elimine as dispensáveis. Foque em causar boa impressão logo de cara, evitando as palavras mais usadas para descrever a si mesmo, como criativa, organizacional ou eficiente.

“Se você está usando as mesmas palavras que todos os usuários do LinkedIn, está se misturando. As buzzwords (palavra ou frase de efeito para impressionar) são realmente apenas palavras vazias. Ninguém está prestando atenção de verdade nelas”

Nicole Williams, diretora de conexão do LinkedIn.

Company Pages no Linkedin

A criação de uma página de empresa é bem semelhante à criação pelo Facebook. Porém, no Linkedin há informações bem mais detalhadas. Logo no início do processo de criação, você poderá informar tamanho/proposta da empresa. As opções são:

  • Pequena Empresa: menos de 200 funcionários
  • Média a grande empresa: mais de 200 funcionários
  • Showcase page: associada a uma Company Page existente
  • Instituição de ensino: escolas, faculdades, universidades.

Depois disso, lembre-se de informar o máximo de dados referentes ao seu negócio. Quanto mais detalhado, maior a chance da sua empresa ser encontrada nas buscas. Página criada, comece a explorá-la!

Conceitos básicos deverão ser levados em conta para utilizar a rede. Assim como as outras redes sociais, você deve ter uma frequência de postagens, explorar os conteúdos relevantes e, principalmente, interagir com seus seguidores.

Como obter resultado com estratégias de Marketing Digital no Linkedin

Agora que você já sabe como dar o primeiro passo para estar no Linkedin, é a hora de planejar e executar as estratégias de Marketing Digital. Sim, como sempre falamos, o primeiro passo é sempre o planejamento. Se quiser saber como estruturar, confira o nosso post completo:

Assim como em outras redes sociais, os conteúdos relevantes têm um desempenho muito interessante no Linkedin. A diferença é como você posiciona estes conteúdos e a quem você está promovendo-os. Dando check nos primeiros pontos do planejamento – público-alvo definido, objetivos SMART estabelecidos e orçamento alocado – você poderá então colocar em prática as melhores estratégias de Marketing Digital no Linkedin.

Papel e caneta em mãos? Ou melhor, notebook em mãos?! Ok, então vamos à nossa lista com 6 estratégias de Marketing Digital no Linkedin.

1- Demonstre seu conhecimento e autoridade

No LinkedIn, conteúdos gerados por outras pessoas tendem a ser melhor recebidos. Por isso, é importante focar na distribuição de publicações por meio de perfis, em contas individuais. O público gosta de conferir compartilhamento de experiências, ideias e perguntas.

Assim, encoraje os seus colaboradores a publicarem artigos sobre temas relacionados à sua marca, compartilharem links do seu site e fazerem parte da sua estratégia de marketing. Quanto mais pessoas falarem bem sobre a sua empresa, produtos ou serviços, melhor será para construir uma boa imagem.

2- Conteúdos geram relacionamentos de qualidade

Essa dica é muito relacionada a outras redes sociais. Quando as pessoas percebem que uma marca tem autoridade sobre determinado assunto, a aproximação é natural, pois potencializará esse conhecimento. Por isso, cada conteúdo deve ser planejado e conduzido para isso.

O compartilhamento de conhecimento é valioso, pois atrai interesse, gera engajamento e demonstra que você, de fato, entende daquilo. Essa troca é fundamental, pois vai tornar o relacionamento com seu potencial cliente muito mais natural.

3- Use as palavras-chave certas

Aqui destacamos uma estratégia que difere de outras redes sociais, principalmente do Instagram. Para encontrar as principais palavras-chave do seu segmento de mercado, aplique as técnicas SEO (confira AQUI como fazer) assim como faria em estratégias do Google. Pesquise quais termos estão em alta no Linkedin e use esses dados para criar seus conteúdos.

Priorize os termos com mais ocorrências e menos concorrências. Para te ajudar, indicamos algumas ferramentas:

  • Keyword Tool: pesquise Keywords em diversas plataformas e encontre as mais utilizadas;
  • Google Keyword Planner: o planejador de palavras-chave do Google vai te entregar boas soluções na obtenção de termos pesquisados;

4- Linkedin Ads

Este é um dos grandes diferenciais do Linkedin em relação a outras plataformas de anúncio. O visual e a forma de anunciar é muito semelhante ao que o mercado já está acostumado com Facebook Ads. Porém, a segmentação é muito mais precisa e pode entregar resultados muito bons.

O ponto negativo é o valor, pois o custo de anúncio mínimo ainda é alto, o que impede que sejam feitos muitos testes. Porém, acredite, o retorno é certeiro se você souber criar bem o seu público. Seu anúncio será entregue para quem realmente tem interesse nele!

Nas campanhas de Linkedin Ads, você pula etapas que são fundamentais na Jornada de Compra em outras plataformas digitais. Os leads são mais qualificados, pois seus anúncios são direcionados para o fundo do funil.

5- Crie showcase pages

Além da sua página de empresa, o Linkedin oferece uma opção muito interessante como estratégia de Marketing Digital. As showcase pages são estilos de vitrines para conteúdos diversos, onde você pode apresentar produtos e serviços de uma forma diferente.

Para quem tem mais de uma linha de produtos, diferentes submarcas ou até mesmo serviços específicos, essa é uma maneira para segmentar melhor o que sua empresa oferece. Mais que isso, para o público é uma grande vantagem poder seguir apenas os conteúdos que o interessam.

Linkedin: exemplo de showcase page
Showcase page Vivo Empresas, uma das opções de página afiliada ao perfil principal da Vivo.

6- DICA EXTRA | Ebook gratuito

Deixamos por último uma dica muito legal, que engloba todas as outras e ainda trará novas soluções para a sua atuação no Linkedin. Pensando na qualificação dos usuários da sua plataforma, o Linkedin oferece um ebook gratuito:

“Um guia estratégico com entrevistas e dicas de líderes de marketing combinadas com insights especializados da nossa equipe de Soluções de Marketing do LinkedIn sobre como anunciar para quem importa”

Linkedin

Para fazer o download, não precisa nem ter conta criada na plataforma, basta clicar AQUI, preencher o cadastro e baixar!


RESUMO
  • Linkedin é a maior rede social de negócios do mundo;
  • Explore a plataforma e descubra todas as suas funcionalidades;
  • Siga nossas dicas para começar agora mesmo a aplicar estratégias de Marketing Digital no Linkedin;
  • Faça o download do material disponibilizado pelo próprio Linkedin, e boas vendas!

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

12 DICAS DE MARKETING DIGITAL PARA COLOCAR EM PRÁTICA AGORA

dicas de marketing digital

Você tem uma estratégia de marketing online para sua empresa? Se a resposta for negativa, aproveite as dicas de Marketing Digital que preparamos para você, pois a sua realidade poderá mudar a partir de agora!

Atuar digitalmente já deixou de ser uma estratégia. Passou a ser uma necessidade. Estamos vivendo a era da digitalização das marcas e, caso você ainda não tenha percebido, talvez a sua empresa já seja digital!

Provavelmente você já entra em contato com seus clientes, fornecedores e parceiros pelo whatsapp. Você paga contas a partir de boletos enviados por email ou com QR code. Você recebe telefonemas e mensagens a partir da apresentação da sua marca no Google e nas redes sociais. Até as notas fiscais e assinaturas são eletrônicas!

Mas você precisa se preparar para extrair o melhor deste momento. Para isso, um bom planejamento de marca pode e deve ser colocado em prática – e ele é simples (se ainda não sabe como estruturá-lo, confere nosso post completo, clicando AQUI). Para que isso ocorra, você precisa se dedicar para organizar as suas informações, o que você sabe sobre o seu mercado e os seus clientes e definir como você vai entrar em contato com todo este universo.

Marketing Digital na prática

No momento que você decide explorar o que uma estratégia digital pode te oferecer, passar a controlar as ações e mensurar o retorno que seus esforços estão gerando vão provar o quanto vale a pena investir em Marketing de Verdade.

Pensando em te ajudar nesse processo, resolvemos colocar “no papel” tudo que há de mais importante nesse processo. Então, confira as 12 dicas que preparamos para você começar a investir e gerar resultados a partir das melhores técnicas e ferramentas de marketing digital.

1- Invista em Marketing de Conteúdo e/ou Inbound Marketing

Começamos a nossa lista do começo. Óbvio, né? Nem tanto! Abrimos as nossas dicas de Marketing Digital com o planejamento, que já falamos anteriormente, e deverá definir quais são as estratégias que serão seguidas. O comportamento do consumidor tem se remodelado nos últimos anos, muito pelas diversas opções disponíveis online.

Sem dúvidas, o Marketing de Conteúdo é uma excelente estratégia para capturar novos clientes e estabelecer um relacionamento entre empresa e cliente que possa ser duradouro. Outra opção é o Inbound Marketing, técnica que desenvolve ações voltadas para atrair potenciais clientes e vender, utilizando ferramentas de automação para executar e mensurar estas ações.

Diversas atividades são necessárias para se aplicar estas estratégias – algumas delas inclusive estarão nesse post – e devem respeitar a necessidade da sua empresa e de seu público-alvo. Publique conteúdo relevante, cative seu lead e torne seu processo de compra uma ação natural. Quer saber a diferença entre as duas estratégias e como colocar em prática? Confere esse post:

2- Aposte nas redes sociais

Se você ainda não sabe, é sua OBRIGAÇÃO como empresário estar presente nas redes sociais. Espero que essa sua visita ao nosso blog seja um indício que você já sabe disso e vai aproveitar as nossas dicas de Marketing Digital. Mas por quê? Simplesmente porque 96,2% das empresas afirmam estar presentes nas redes sociais. Mais que isso: 62,6% delas já consideram essas plataformas como fundamentais para as suas estratégias de Marketing Digital. Esses dados são do estudo top da empresa Rock Content no relatório Social Media Trends 2019, que traz um panorama completo dessa relação.

Portanto, ignorar esse contexto é definir que a sua empresa irá fracassar. Considere todas possibilidades, analise sua situação digital e mergulhe de cabeça nesse universo. Aceite, não tem mais volta!

Quer saber mais? Confere aí:

3- Defina objetivos SMART

Não é novidade que toda empresa precisa traçar um planejamento para obter sucesso e, nesse sentido, definir objetivos SMART são estratégias fundamentais. Apesar de parecer somente mais uma palavra americana (em inglês, smart significa inteligente ou esperto), SMART é um acrônimo formado pelas iniciais das palavras Specific, Measurable, Attainable, Realistic e Time-bound.

Ou seja, para alcançar bons indicadores, seus objetivos deverão ser específicos, mensuráveis, atingíveis, realistas e com um prazo definido. Para colocar isso em prática, temos um passo a passo, com exemplos reais, para você aprender:

4- Crie um calendário de postagens

Essa é uma das dicas de Marketing Digital que podem causar um certo mal estar. Mas ter um calendário de postagens, além de guiar e organizar seu perfil na rede social, vai fazer você economizar seu bem mais precioso: o tempo.

Calendários mensais, trimestrais, semanais, anuais… não importa! O que importa é você organize suas postagens. Se gosta do desprendimento das postagens do dia a dia, guarde isso para o story do Instagram ou então poste conteúdo extra. Não tem problema fazer a mais. O problema será deixar de postar porque outro assunto relacionado ao dia a dia da empresa falou mais alto (o que é perfeitamente normal).

DICA: Se tiver em dúvida com relação aos temas que serão abordados na postagem, existem diversas ferramentas – gratuitas e pagas – para te auxiliar. Um site que gostamos e utilizamos com nossos clientes é o AnswerThePublic. É só digitar um termo relacionado ao seu negócio (serviços, produtos, diferenciais, etc.), escolher localização e idioma, e acessar todas as sugestões. Ah, todas elas te levam a buscas no Google, mas o trabalho inicial de filtrar todas opções, é do site!

Isso vale também para quem tem um blog ativo (assim como este aqui). Defina um ritmo para produção de artigos e para conseguir promovê-los. Aqui na Gama, toda quarta-feira tem texto novo no Blog, então programe-se para isso 😉

Calendário de Postagens, uma das dicas de Marketing Digital
Este é um exemplo de calendário simples, que ajuda a organizar as postagens da semana.

5- Crie um BLOG

Pegando o gancho da dica anterior, você sabia que cerca de 53% dos profissionais de marketing afirmam que ter blog ativo é a principal prioridade entre as suas estratégias de Inbound Marketing? É o que diz uma pesquisa do Hubspot, comprovando a força da nossa dica!

Além de ter um espaço livre para criação de conteúdos variados, que podem solucionara vários problemas do seu consumidor em potencial, um texto bem escrito ajudará seu site a posicionar muito melhor nas buscas do Google.

6- Estude as técnicas SEO

Já que estamos nessa de gancho da dica anterior, essa é justamente para te ajudar – de forma orgânica – a melhorar o ranqueamento do seu site nas buscas. SEO, sigla para Search Engine Optimization, é um conjunto de técnicas e estratégias que permitem que isso ocorra.

Para um site oferecer retorno para uma empresa, ele precisa de tráfego. Ou seja, você precisa levar as pessoas até ele. Porém, obter isso aplicando as técnicas de SEO não é tão simples, afinal são mais de 250 itens que o algoritmo do Google leva em consideração.

Para dominar os principais conceitos de SEO, confere o nosso post:

7- Respeite o funil de vendas

O Funil de Vendas ou a Jornada de Compra é o processo ou caminho que qualquer pessoa atravessa, desde a descoberta da sua marca até a efetiva decisão de compra. Para entender melhor como isso funciona, na prática, confira esse post:

https://gama.etc.br/2020/06/05/jornada-de-compra-proponha-o-caminho-para-o-consumidor/

Como estamos falando bastante de conteúdo, aí vão algumas dicas para cada etapa:

  • Topo de funil: artigos no blog, vídeos, ebooks e newsletter. Apresente seu negócio e atraia o potencial consumidor;
  • Meio de funil: para quem busca informações mais específicas e aprofundadas, ofereça cases reais, webinars e lives. Assim como na etapa anterior, artigos e ebooks também podem ser utilizados, mas fique atento aos temas propostos;
  • Fundo de funil: produza conteúdos (escolha o formato certeiro) que possam auxiliar as pessoas a superarem os últimos obstáculos na decisão de compra. Demonstrações do produto, depoimentos reais e cases podem ser decisivos.

8- Produza e promova conteúdo relevante

Na primeira das dicas de Marketing Digital da nossa lista, falamos sobre a produção de conteúdo e depois seguimos mostrando diversas formas de utilizá-lo. Mas tão importante quanto produzir, é promover este conteúdo da melhor forma possível.

Uma boa alternativa para fazer essa divulgação de forma orgânica é através de mail marketing. Mas não aquela newsletter chata oferecendo promoção, que vem de lugares que você nem conhece. Distribua conteúdos específicos para o estágio do funil em que o seu cliente se encontra.

Se tiver uma graninha separada para investir, coloque-a em publicidade online. Estude os melhores canais para promover seu conteúdo e inicie agora mesmo os primeiros testes.

9- Anúncios pagos em Google Ads

Apostar em tráfego orgânico, no longo prazo, certamente trará resultados muito bons. No entanto, como citamos na dica anterior, investir em publicidade online é uma ótima alternativa para acelerar este processo.

Se você tem um site ou um estabelecimento comercial, investir em Google Ads pode ter impacto imediato. Os anúncios pagos podem ser feitos para as buscas no Google ou para outros locais, inclusive para perfis do Google Meu Negócio (saiba mais AQUI).

Para detonar nas suas campanhas de Google Ads, acesse nosso guia e comece a colher os resultados:

10- Campanhas de Facebook e Instagram Ads

Para quem não tem um site e aposta suas fichas nas redes sociais, essa é a opção certeira em publicidade online. E, nesse caso, colocamos as duas redes juntas porque a plataforma de anúncios utilizada é a mesma: o Gerenciador de Anúncios do Facebook. Mesmo que você só explore o Instagram como rede social principal, é necessário ter uma página no Facebook para anunciar na plataforma.

Existem diversas opções de anúncios, objetivos, formatos, visuais, públicos, orçamentos, que podem ser escolhidos em campanhas pagas no Face e no Insta. Basta que você saiba que conteúdo irá promover e para quem. E se ainda estiver com dúvidas para dar o pontapé inicial, confere esse nosso post que ajuda quem ainda num estágio inicial de publicidade online:

11- Pense mobile

O uso de smartphones e outros dispositivos móveis só cresce, isso é fato. Atualmente, estes dispositivos representam 43% das transações online no mercado brasileiro, segundo estudo da Criteo. Ou seja, por mais que você ainda não tenha percebido, sua empresa deve estar preparada para atender a esse consumidor. E isso se aplica tanto aos sites quanto aos formatos de conteúdos para as redes sociais.

12- Conheça seu público

Deixamos a dica mais importante por último. E sabe por que conhecer o seu público é tão importante? Porque NENHUMA das dicas anteriores funcionará se você as colocar em prática sem saber quem vai te consumir. Já imaginou uma campanha com design perfeito, objetivos bem definidos e estratégias certeiras para promover o lançamento de um produto vegano e acabar atingindo um público de carnívoros?

Claro, exageramos um pouco para poder enfatizar a importância de conhecer aquela pessoa que pode ser seu cliente. E se ainda não sabe como fazer para ser assertivo nessa etapa, a gente te ajuda!

Existem duas técnicas para colocar isto em prática: público-alvo e persona. Enquanto um se refere a um grupo específico de consumidores ou organizações que compartilham um perfil semelhante, o outro foca num personagem fictício criado para representar diferentes tipos de usuário a partir de seus comportamentos e atitudes.

Para estudar melhor estes conceitos e colocá-los em prática, acesse este conteúdo riquíssimo do nosso BLOG:

Uma das ferramentas que mais utilizamos para aprofundar as pesquisas de público é o Audience Insights, do Facebook. Você pode saber mais sobre ela clicando AQUI.


RESUMO
  • Se você não aposta em Marketing Digital, olha… eu tenho uma má notícia para você;
  • Comece do começo. Sim, isso é óbvio! Porém, o principal erro é ignorar esta premissa. Então: planeje-se;
  • Mais do que aproveitar uma das dicas, é complementá-las e extrair o melhor de cada;
  • Todas dicas aqui listadas foram testadas, aplicadas e trouxeram resultados práticos para os nossos clientes;
  • O melhor investimento que você pode fazer é em você mesmo;

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

MARKETING DE CONTEÚDO X INBOUND MARKETING

Você sabe diferenciar Marketing de Conteúdo x Inbound Marketing? Hoje vamos esclarecer esta dúvida que está na cabeça de quase todo mundo que começa a explorar o marketing digital.

Quando iniciamos a nossa trajetória na comunicação digital, impossível não acharmos inúmeros conteúdos sobre dicas e técnicas infalíveis para alavancarmos as nossas marcas e aumentarmos as nossas vendas. E temos certeza de que 9 em cada 10 dicas oferecem soluções envolvendo Marketing de Conteúdo e/ou Inbound Marketing.

Mas você sabe como estas técnicas surgiram e quais são os motivos que as tornaram tão famosas? Mais que isso, você sabe por que muitos ainda se perguntam se elas competem entre si ou se complementam? Vamos estudar um pouco mais hoje, então. Bora!

Escola de Cleveland x Escola de Boston

Parece que essa mania de competição nunca vai acabar, não é mesmo? A gente nem curte tanto, mas sabemos que ela existe, chama a atenção e por isso deixamos o título assim mesmo =D. Vamos ao que importa: o desenvolvimento das técnicas surgiu nessas duas cidades americanas, a partir de conceitos estruturados por profissionais de alto impacto. Ainda assim, as técnicas não são tão novas. 

Content Marketing Institute | Marketing de Conteúdo

Joe Pulizzi é um empresário, palestrante e autor de inúmeros materiais de marketing de conteúdo, considerado o pai da metodologia. Após muitos anos de trabalho envolvendo estudos e práticas, Joe percebeu que as marcas chegavam até ele com muitas dúvidas sobre o tema. Eis que ele cria, em 2011, o Content Marketing Institute (CMI). Sediado em Cleveland (EUA), o CMI é a principal organização  global de educação e treinamento em marketing de conteúdo, ensinando as marcas a atrair e reter clientes por meio de narrativas atraentes multicanal.

Não por acaso, a Escola de Cleveland recebe este nome. Atualmente a organização conta com uma série de iniciativas envolvendo a comunidade que desenvolve o marketing de conteúdo globalmente, oferecendo materiais riquíssimos através de materiais especiaiseventos e canais digitais.

Chamada para Content Marketing World 2020

Exemplos

Mesmo sendo tão aplicado atualmente como uma alternativa de sucesso, o uso efetivo dessa técnica é bem antigo. Você sabe quando foi observada a primeira iniciativa de marketing de conteúdo do mercado? Em 1895, com o lançamento da revista The Furrow, especializada no mercado agro. Esta iniciativa foi feita pela empresa John Deere com o objetivo de se aproximar do seu consumidor através de um periódico focado em falar sobre os problemas do mercado, e não por meio de catálogos com ofertas de produto e/ou serviço.

Naturalmente, ela cresceu em popularidade e autoridade, e se mantém forte até hoje. No Brasil, identificou-se um movimento semelhante com a criação do Almanaque do Biotônico Fontoura em 1920, revista anual de divulgação publicitária que chegou a ter uma tiragem de cem milhões de exemplares em 1982.

Almanaque do Biotônico Fontoura
Capa de uma edição do “Almanaque do Biotônico”

Hubspot | Inbound Marketing

“Existe essa ideia de que, para expandir uma empresa, você tem que ser implacável. Mas nós sabemos que há uma maneira melhor de crescer. Uma maneira na qual o que é bom para os resultados da empresa também é bom para os clientes. Nós acreditamos que as empresas podem crescer com consciência e vencer com alma, e que elas podem fazer isso com o inbound. Foi por isso que criamos uma plataforma que une software, educação e comunidade para ajudar empresas a crescer melhor todos os dias”

Esta é a missão da empresa Hubspot, criada em 2005 pelos então ex-colegas de pós graduação no MIT, Dharmesh Shah e Brian Halligan. Brian e Dharmesh notaram uma mudança na forma como as pessoas pesquisavam e compravam produtos e serviços. Os consumidores não estavam mais tolerando a disputa por sua atenção. Na verdade, ficaram muito bons em ignorá-la.

Dessa mudança, nasceu uma empresa. Ela foi fundada com base no conceito de “inbound”, a noção de que as pessoas não querem ser interrompidas por profissionais de marketing ou incomodadas por vendedores, mas querem ajuda. (Este material é o conteúdo original do site da empresa). 

A solução criada pela empresa é, de fato, incrível. Aqui na Gama gerenciamos nosso pipeline de vendas diretamente desta plataforma. Ah, e apenas para ficar claro. A sede da Hubspot é em Boston (EUA). 

Vídeo institucional do Hubspot

Amigos ou rivais?

A imagem que escolhemos para ilustrar esse post talvez tenha causado alguma estranheza, não? Então, ela mostra um embate entre adversários, figuras que todos nós conhecemos ou já ouvimos falar: Messi e Neymar. Eles são amigos. E são adversários! Será mesmo?

Inbound Marketing x Marketing de Conteúdo: Messi x Neymar rivais no clássico
Messi e Neymar disputam a bola, no clássico Brasil x Argentina
Foto: Getty Images

Com suas diferenças e semelhanças, as duas técnicas que estamos falando ainda causam confusão em quem inicia sua estratégia de Marketing Digital. E é normal, não se preocupe. Acontece que muitas das atuações dentro das duas abordagens possuem estratégias que se complementam, e outras que se diferenciam.

Inbound e Conteúdo: Na prática

MARKETING DE CONTEÚDOINBOUND MARKETING
Utilizado para desenvolver entregas (diretas ou indiretas) para os clientesUtilizado para atrair potenciais clientes (por ações específicas) e vender
Amplo, podendo ser uma estratégia aplicada a diversos objetivos dentro de um planejamento de Marketing DigitalPrático, detalhado, bem estruturado, valendo-se de diversas outras técnicas para atingir seu objetivo
Utilizado para posicionamento de marca, branding, retenção de clientes e, também conversão para vendasFocado em conversão para vendas, não se aplica a outras estratégias de relacionamento com cliente
Conteúdo relevante sem promover explicitamente a marca, tornando a interação com o cliente uma ação naturalAções voltadas para atrair potenciais clientes e vender, utilizando ferramentas de automação para executar e mensurar estas ações

Enquanto o conteúdo persegue objetivos tão amplos quanto o próprio marketing, o Inbound dedica-se a um objetivo específico de venda. Em decorrência disso, diversos tipos de empresas estão aptos a adotarem o marketing de conteúdo como estratégia principal de marketing. Enquanto o Inbound é escolhido estritamente por empresas que necessitem gerar negócios a partir dos leads conquistados.

Inbound e Conteúdo: abordagem

Na prática, são estratégias diferentes, mas que podem funcionar muito bem juntas. A diferença básica é a abordagem! Aqui na gama, variamos a utilização das técnicas, mas naturalmente o resultado é melhor quando as aliamos para chegar ao que chamamos de Marketing de Verdade. O livro They Ask You Answer, do autor, Marcus Sheridan, reforça essa ideia de forma mais elaborada:

“Inbound marketing é a técnica de atrair clientes em vez de persegui-los. Marketing de conteúdo consiste em ensinar algo aos clientes para, assim, ganhar sua confiança.”

Se o seu negócio tem como objetivo final a venda, certamente a escolha perfeita é unir as estratégias. Assim, você irá aliar a qualidade e a assertividade do conteúdo, com a precisão e a conversão do Inbound. Assim voltamos a Joe Pulizzi, que define a pressa como a maior inimiga destes processos.

“O problema é tentar encurtar demais o processo e partir para as vendas. Não funciona assim. Normalmente, as empresas demoram meses ou anos para ter resultados. Ninguém quer ouvir isso, mas é a pura verdade.”

O que nos prova que realmente é a mais pura verdade é uma pesquisa da Email Monday, que apontou que, dentre as empresas americanas que adotaram inbound marketing, 32% perceberam resultados depois de seis meses a dois anos, enquanto 60% desistiram. Sabe por que elas desistiram? Pressa!!!

Quem vence essa batalha?

Inbound Marketing + Marketing de Conteúdo: Messi e Neymar juntos, com Suárez, no Barcelona
Lembra da foto de Messi x Neymar no duelo entre Argentina x Brasil? Então, eles são ótimos! E esta foto comprova que são muito melhores JUNTOS!
Foto: Getty Images

A resposta certa é: a sua empresa! Ou na nossa metáfora: o Barcelona, que venceu tudo quando teve Messi e Neymar juntos! Basta saber qual estratégia melhor se adapta ao seu negócio, e partir pra cima. Sabe aquela batalha que a gente falou lá no início? Ela não tem um vencedor e nem tem dois lados opostos. Vimos nesse post que, no fim das contas, quem vai decidir o que mais dá certo é o cliente. Não tem regra, não tem receita de bolo. Entenda seu público, conheça seu mercado e adote a estratégia que der o melhor resultado!


Resumo
  • Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing são estratégias diferentes
  • Surgidos nos EUA, os conceitos fazem parte de duas vertentes do marketing
  • Ambas estratégias podem ser utilizadas pela sua empresa, em diferentes estágios
  • Assim como Neymar e Messi, estas técnicas são boas separadas, mas melhores juntas. Considere utilizá-las como aliadas e potencializar seu negócio
  • Nessa “disputa”, quem vence é a sua empresa

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como escolher a melhor estratégia de marketing e colocar em prática, estamos aqui!  Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com o seu negócio. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br