POR QUE O BRIEFING NO MARKETING DIGITAL É TÃO IMPORTANTE?

Talvez você não saiba, mas o briefing no marketing digital é a evolução de um conceito que pode ser aplicado em diversos setores. Para desenvolver um projeto com eficiência, sempre será fundamental ter um bom briefing. Afinal, é nele que vão constar todas as informações importantes como prazos, metas, dados do cliente e instruções de como realizar o trabalho.

Muitas vezes as empresas não dão a atenção devida à criação do briefing para um projeto. Às vezes por falta de tempo ou simplesmente por não saber a importância de centralizar todas as informações num mesmo documento.

Por isso, vamos mostrar porquê você deve começar agora mesmo a fazer briefings para o marketing digital de sua empresa:

O que é briefing?

Briefing significa “instrução” em inglês. Ou seja, é um tipo de documento que organiza todas as informações necessárias para realizar um projeto no marketing digital. Esse projeto pode ser desde uma campanha publicitária até um planejamento de posts para redes sociais.

No briefing deve constar o máximo de detalhes possível, como os objetivos do projeto, identidade visual, público-alvo, história da empresa, resultados a serem atingidos, entre outras questões relevantes.

Em resumo, o briefing é uma espécie de manual de instruções para a execução de um trabalho.

Por que o briefing no marketing digital é importante?

É primordial criar um briefing no marketing digital, e isso se dá por um simples motivo: assim, o projeto será bem executado. Pois ao receber todos os detalhes, a empresa/agência saberá exatamente o que o cliente deseja.

Um erro gravíssimo é deixar o briefing de lado, na intenção de iniciar com mais rapidez o serviço. Essa atitude pode ser um tiro no pé tanto do cliente quanto da empresa. Afinal, um briefing mal executado faz com que o profissional responsável não tenha a orientação necessária para realizar o projeto.

Por exemplo: o cliente deseja que uma campanha de anúncios seja direcionada apenas ao público masculino. Se isso não for explícito no briefing, ele perderá dinheiro, visto que a equipe irá investir em mídia paga direcionada tanto a homens quanto mulheres.

Por isso é extremamente importante criar um briefing detalhado. Além de orientar a equipe na execução de um projeto de qualidade, ele antecipa diversos problemas que podem surgir. Como erros no direcionamento de público-alvo, que exemplificamos acima.

Benefícios do briefing no marketing digital

Um briefing bem elaborado traz inúmeros benefícios para a agência e o cliente. Os primeiros deles:

  • Organizar o fluxo de ideias;
  • Direcionar as tarefas dentro do projeto;

Além disso, quando o cliente dá detalhes sobre um produto ou serviço fica muito mais fácil ter ideias de como elaborar a criação de conteúdo.

Mas, acima de tudo, o briefing serve para garantir que o cliente e a agência estejam falando a “mesma língua”. Ou seja, que estejam de acordo com o que deve ser feito.

Porém, o que exatamente deve constar no briefing para que isso ocorra? Veja a seguir:

O que um briefing no marketing digital precisa ter?

O segredo para um bom briefing é perguntar as coisas certas ao cliente. Isso porque assim ele pode responder de forma clara todos os detalhes importantes do trabalho.

Uma dica é criar um formulário com as seguintes perguntas:

Quem é o cliente?

Peça para o cliente falar sobre a história da empresa, missão, visão e valores, produtos e serviços, concorrentes e quais problemas ele soluciona.

O que o cliente já fez em comunicação?

Pergunte e faça um compilado de todas as ações de marketing que a marca do cliente já desenvolveu. Saiba se ele possui site, redes sociais, identidade visual e principalmente os resultados dessas ações..

Objetivo do projeto?

Procure entender o motivo pelo qual o cliente deseja realizar o serviço de marketing digital e quais resultados ele espera alcançar com este projeto.

Detalhes técnicos do projeto?

Pergunte sobre o público-alvo, mídias utilizadas, orçamento disponível e identidade visual. Verifique também se há algo que o cliente não quer que seja feito.

Quais são os prazos?

Por fim, alinhe com o cliente os prazos do projeto. Além disso, veja se é possível conciliar a expectativa do cliente com a capacidade de produção da agência.

Um briefing bem estruturado reflete diretamente na organização de um projeto.

Ao organizar o documento por segmentação e com detalhes, as equipes de cada área (como criação, planejamento, mídias, etc.) terão em mente o que deverão fazer de forma clara e objetiva, evitando assim retrabalhos  desnecessários e resultados mais assertivos.


Então agora que você entende a importância de um briefing para serviços de marketing digital, certifique-se sempre de criá-lo na hora de realizar seus projetos!

E se o seu objetivo é revolucionar a sua marca no digital, só um belo briefing não irá adiantar. Conte com a Gama para auxiliar a sua marca em um projeto completo de marketing digital!

STORYTELLING ESTRATÉGICO: APRENDA COMO CRIAR EM 6 PASSOS

O storytelling estratégico é essencial se você deseja que sua marca tenha sucesso e reconhecimento nos dias de hoje. Quando se cria uma história bem planejada, ela cativa a atenção do público e você pode até mesmo conseguir clientes a partir de uma narrativa.

Por isso, vamos te mostrar os 6 passos principais para te ajudar a criar o storytelling ideal para sua empresa:

O que é storytelling

Na tradução literal, “Story” significa história e “telling” significa  contar. Ou seja, Storytelling é, basicamente, uma estratégia de venda que consiste em vender um produto ou serviço através de uma história em texto, imagens, vídeos, etc. O objetivo é impactar o público através de uma narrativa, para que, dessa forma, ele tenha interesse em comprar da sua marca.

Um dos maiores exemplos de cases de sucesso com Storytelling é a marca de sorvetes Häagen-Dazs. A marca nasceu nos Estados Unidos e no começo tinha o nome de Senator Frozen.

Para combater a concorrência, no entanto, o casal fundador realizou melhorias na receita e para convencer seus clientes a pagarem um valor mais alto, passaram a dizer que o produto era importado. Foi assim que decidiram criar o nome Häagen-Dazs, que supostamente teria origem dinamarquesa, mas na verdade não tem significado algum.

A estratégia foi um êxito e hoje a marca é conhecida mundialmente. Contudo, não é o melhor exemplo ético de criação de storytelling estratégico, visto que tudo foi baseado em uma mentira.

Apesar do exemplo acima, é possível sim criar um storytelling estratégico baseado em histórias verdadeiras que vão engajar seu público. Basta utilizar as ferramentas corretas e você terá uma narrativa de sucesso, confira:

6 passos para criar o Storytelling estratégico perfeito para sua empresa

1 –  Colete informações

Primeiramente, é muito importante selecionar informações sobre a sua empresa: quem é seu público-alvo, quais as suas dores e necessidades.

Defina qual a missão, visão e valores, fatos marcantes e curiosidades sobre a empresa, como foi a fundação, entre outras informações relevantes para construir a narrativa.

2 – Não crie um storytelling muito longo

Um bom storytelling exige uma mensagem simples e direta. Evite contar histórias muito longas, complexas e cheias de detalhes.

O recomendado é sempre passar a mensagem de maneira entendível ao público, e você pode fazer isso com histórias cotidianas, por exemplo.

Dá só uma olhada nessa campanha do Google! Ela retrata uma família fictícia em uma atividade em comum e corriqueira: realizando compras através das pesquisas no Google.

O anúncio de apenas 30 segundos passa 100% da mensagem proposta: representar uma família comum que utiliza o Google para atividades cotidianas.

A grande maioria das pessoas vai se identificar com a família, já que o Google é o site de buscas mais utilizado do mundo.

Ou seja, lembre-se do ditado: menos é mais.

3 – Estude sobre os arquétipos para a construção do storytelling 

Arquétipos são modelos de comportamentos ou personalidade. Eles geralmente são encontrados em personagens de mitos e histórias.

As consultoras Carol Pearson e Margaret Mark, através de diversas pesquisas documentadas no livro “O Herói e o Fora-da-lei definiram que existem 12 arquétipos de marcas, confira uma breve descrição deles:

  • Inocente: Procura pela felicidade e pela fé.
  • Explorador: Independente, desbravador
  • Sábio: Entende o mundo
  • Herói: Comete atos de coragem
  • Fora-da-lei: Viola as regras
  • Mago: Transforma/altera a realidade à sua volta.
  • Cara comum: genérico, indeterminado
  • Amante: Encontra e dá amor
  • Bobo da corte: Divertido
  • Prestativo: Se importa com os outros.
  • Criador: Inova, cria novidades
  • Governante: exerce a liderança

Para definir em qual arquétipo se basear na hora de criar um storytelling estratégico, escolha bem o posicionamento que sua marca pretende seguir, entenda a personalidade do seu público e estude como cada arquétipo é aplicado em empresas específicas.

As marcas de carro em geral, são o perfeito exemplo do arquétipo explorador, pois suas propagandas utilizam temas como liberdade, aventura, independência, etc.

Já a Disney se enquadra no arquétipo inocente, isso porque ressalta a fé nos sonhos e a busca pela felicidade em suas histórias.

4 – Crie Storytelling estratégico sobre o cotidiano

No exemplo de propaganda que mostramos do Google, vimos que não é necessário criar uma história épica e irrealista para transmitir uma mensagem. Na verdade, as pessoas se identificam mais com histórias do cotidiano, pois são situações que elas vivenciam.

Por isso, ao criar um storytelling pense em como mostrar que seu produto pode ser usado de forma prática, ou mostre como sua empresa pode solucionar as dores do cliente de maneira realista, para que o público tenha uma identificação com o conteúdo.

5 – Seja verdadeiro

Você pode criar personagens e histórias fictícias para seu storytelling, desde que isso esteja claro desde o início e a mensagem transmitida seja verdadeira.

A Häagen-Dazs pode ter sido um sucesso, mas mentir no storytelling pode ser um tiro no pé para qualquer empresa, pois além de perder a credibilidade, os clientes perdem também a confiança de que sua marca prestará um bom serviço.

6 – Use gatilhos de emoção no storytelling estratégico

Para impactar o público com o storytelling estratégico é preciso apelar para o emocional. Afinal, é isso que gera conexão entre as pessoas.

A sua narrativa precisa ter início, meio e fim. O início introduz os personagens da história, o meio mostra o conflito (dores do cliente) e o fim demonstra como sua empresa pode solucionar o conflito.

As emoções podem ser as mais diversas: felicidade, tristeza, medo, bem como humor. Tudo depende do posicionamento da sua marca. O importante é fazer o público sentir algo.

O storytelling estratégico é de extrema importância para a criação do branding de uma marca, pois ele gera emoção, empatia, valor e identificação através de uma história de acordo com a realidade do cliente. Sendo assim, ao criar uma narrativa que tenha impacto no seu público-alvo, a possibilidade de conseguir mais vendas em sua empresa certamente aumentará!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui. Acesse o nosso site e conheça a Gama!