Copywriting: comece a produzir conteúdos com foco em vendas

Copywriter

Hoje vamos falar sobre uma estratégia imprescindível para quem deseja aumentar as vendas. Conheça o Copywriting, veja exemplos e aprenda como criar uma estratégia matadora!

copywriting

O que é copywriting?

Em muitos dos nossos artigos, falamos sobre a importância do marketing de conteúdo para os negócios.

É através dele que as marcas conseguem criar uma identidade online, atrair seu público, convertê-los em leads, vender e também fidelizá-los.

As técnicas de copywriting podem estar presentes em todas essas fases, no entanto, onde mais a usamos é na etapa de vendas. Desse modo, o conceito de copywriting é:

Uma estratégia de escrita que traz como objetivo principal convencer o leitor a realizar uma ação.

Relação do copywriting com o marketing de conteúdo

Como falei antes, o marketing de conteúdo é uma técnica que visa a criar uma relação sólida entre empresas e consumidores, bem como, construir reputações online.

Desse modo, é comum pensar no copy como parte dela, mas com foco exclusivo em vendas. Contudo, o copy também funciona para outros fins.

Por exemplo, o uso dos gatilhos mentais, dentre outras coisas, pode ajudar a aumentar o engajamento em redes sociais ou fazer com que um leitor desperte para seu problema.

Por fim, a relação do copywriting com o marketing de conteúdo é muito próxima. Eu diria que são inseparáveis!

Exemplos de copywriting

O copywriting é algo valioso, mas é necessário muito conhecimento para colocá-lo em prática, inclusive quando queremos aliá-lo a outras táticas como o inbound marketing.

Para te ajudar a entender melhor como funcionam estas ações, separei 3 exemplos de copywriting prontas, e com diferentes abordagens. Confira!

Uber

A empresa precisa sempre desenvolver conteúdos que atraiam dois públicos: motoristas e passageiros. Veja na copy a seguir um exemplo de como fazer isso.

“Nem todos os heróis usam capas. Alguns usam capacetes”

Por outro lado, alguns textos podem ser focados em públicos específicos, por isso, com o slogan “Dirija e ganhe. Cadastre-se”, passa a sensação de segurança e atrai motoristas.

Copywriting simples e direta da Uber
Chamada simples e direta da Uber.

Netflix

A Netflix usa uma abordagem simples e direta, como pede o consumidor online.

Da mesma forma, utiliza gatilhos de autoridade, confiabilidade, e até prova social. Lendo a copy abaixo, temos informações relevantes, segurança e prova. Veja!

“Filmes, séries e muito mais. Sem limites. Assista onde quiser. Cancele quando quiser. Experimente grátis por 30 dias”.

Nike

Outro exemplo simples, mas poderoso é o da Nike. Ele busca encorajar o consumidor enquanto transforma seu produto em um objeto de desejo.

Copywriting da Nike.
“Só é um sonho louco até você conquistá-lo”

Como criar uma estratégia de copywriting?

Escrever bem e usar conteúdo de valor é importante, mas se você pretende transformar seu leitor em cliente, isso não é suficiente.

Para uma estratégia de marketing eficiente, devemos seguir quatro pilares básicos:

  • O conteúdo deve ser atrativo, pois precisamos, em poucos segundos, provar que o mesmo vale à pena;
  • Não importa se é um texto, vídeo, infográfico, etc. o material deve ser inspirador;
  • Um dos objetivos do marketing digital deve ser criar uma relação sólida e de confiança entre empresa e público;
  • Por fim, precisamos criar conteúdos capazes de fazer com que o leitor tome uma decisão;

Além dessas metas, o copywriting entra com outros elementos importantes para gerar bons resultados. Vamos a eles:

Conheça seu público

Mais uma vez bato nessa tecla. Você precisa saber para quem vai criar suas ações e, finalmente, vender. Sendo assim, comece definindo sua persona, uma espécie de protótipo do seu cliente ideal.

O maior benefício disso é que conseguimos criar conteúdos, de fato relevantes e apresentamos soluções acertadas, o que aumenta as chances de vender.

Use linguagem adequada

Definindo sua persona, saberá qual tipo de linguagem usar em sua copy. Por exemplo, se o seu cliente ideal for uma mulher de 40 anos e com mestrado em sua área, cabe uma linguagem mais formal.

Aposte em títulos poderosos

Assim como no SEO, no copywriting, o título do texto é um cartão de visita e diz se o leitor vai acessá-lo ou não. O ideal é criar algo simples, objetivo, mas que cause muito impacto!

Conecte-se com o leitor

Conhecer o público e pesquisar sobre suas dores é essencial, tendo em vista que na hora de escrever, conseguimos nos conectar com o mesmo. Em resumo, ao ler o que você escreveu, sua persona deve sentir que foi feito para ela.

Use verbos de ação

Um gatilho mental valioso no copywriting é o de urgência. Com ele vem a sensação de que: se eu não fizer isso agora, vou perder a oportunidade da minha vida. Também nesse caso, vale muito a pena usar verbos no imperativo em todo o conteúdo, inclusive, no título.

Valide com números de estudos

Uma copy deve passar o máximo de segurança para quem a lê, logo, é necessário usar algumas táticas como a inserção de dados de pesquisas, citações em veículos de comunicação famosos, etc.

Copywriter criando textos
Agora que você tem todas as dicas em mãos, é hora de escolher o seu cantinho e bora escrever!

Espero que este texto lhe tenha sido útil e, se sua empresa precisa de conteúdos que vendem, a Gama pode te ajudar com soluções envolvendo copywriting. Clique aqui e veja todas as nossas ofertas relacionadas a conteúdo. Claro, com destaque para copywriting!

Como fazer marketing de conteúdo para negócios B2B?

time de análise listando ações de marketing de coteúdo

Quando se fala em marketing de conteúdo, é comum pensarmos apenas no B2C, ou seja: foco no consumidor final. Entretanto, ter uma estratégia de marketing de conteúdo para negócios B2B também pode ser um grande diferencial para empresas desse nicho vencerem  a concorrência.

Segundo esta pesquisa de 2019, 30% dos usuários de internet utilizam bloqueador de anúncios. Por esse motivo, tanto empresas B2C bem como B2B precisam apostar em outras alternativas de marketing digital além do tráfego pago.

A principal diferença entre o marketing de conteúdo B2C para o B2B, está na complexidade da jornada de compra. Enquanto o caminho trilhado no B2C é mais simples e rápido, o B2B é mais extenso: o funil de vendas para esse nicho pode levar meses para nutrir um cliente em potencial.

Entenda as diferenças.

Contudo, a ideia central do marketing de conteúdo para B2B permanece a mesma: fornecer informações de qualidade para engajar possíveis clientes.

Leia a seguir como fazer um marketing de conteúdo eficiente para negócios B2B: 

Vantagens do marketing de conteúdo para negócios B2B

O marketing de conteúdo é a maneira mais eficiente de gerar autoridade para sua marca e, assim, adquirir a confiança do cliente.

Dentre as inúmeras vantagens, as principais são:

Geração de Leads

Um lead é o potencial cliente de seu negócio. É aquela pessoa que em algum momento teve interesse nos seus conteúdos e/ou serviços, por isso é muito propensa a contratar seu negócio.

O segredo para conseguir leads está no marketing de conteúdo porque oferecendo algo de valor ao possível cliente (um ebook, mentoria, newsletter, etc) em troca você consegue dados como email, número de telefone e outras formas de contato.

Ou seja: você consegue o contato de pessoas que já possuem interesse no que sua empresa oferece, o que facilita muito a prospecção de clientes. 

Atração do público correto

Complementando o tópico anterior, ao conseguir leads qualificados com  estratégia de marketing de conteúdo para negócios B2B você passa a entender quem é seu cliente ideal.

Ao estudar o público de sua marca e entendendo suas preferências, os conteúdos terão mais qualidade e, consequentemente, atrairão mais pessoas.

Fidelização de clientes

Quando sua empresa demonstra conhecer seu público e suas dores a partir do marketing de conteúdo, os clientes tornam-se fiéis à marca.

Primeiros passos no planejamento do marketing de conteúdo para negócios B2B:

Antes de começar a planejar o marketing de conteúdo para negócios b2b, existem questões muito importantes que precisam ser levadas em conta para que os conteúdos postados efetivamente atraiam o público ideal para sua empresa. Confira alguns:

Entenda o problema do cliente

O primeiro e mais importante passo, é saber o que de fato seu cliente precisa. Afinal, somente dessa forma será possível criar um conteúdo focado em mostrar que sua empresa tem a solução para as dores desse cliente.

Estude o mercado, veja o tipo de conteúdo criado por concorrentes, peça feedbacks do serviço, crie uma persona, e, dessa forma, você terá um direcionamento para criar conteúdos que geram resultados.

Organize seu tempo para criação de conteúdo

Criar conteúdo envolve uma longa pesquisa de referências, brainstorms, sem contar o processo de execução. Por isso, separe um bom espaço de tempo para esse planejamento, crie prazos e uma linha editorial. É preciso entender que conteúdos de qualidade exigem paciência, planejamento e tempo.

Crie um calendário de conteúdo

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada canal de comunicação. Ele é muito útil para manter a organização do marketing de conteúdo e colocar as estratégias em prática.

Para montá-lo você precisa:

  • Definir o canal
  • Definir os dias da semana em que terão posts
  • Estabelecer o horário dos posts
  • Escolher o tipo de conteúdo

Cada plataforma exige uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

Principais estratégias para Marketing de conteúdo B2B

Cases de sucesso

Deixar o público saber que as pessoas utilizam e recomendam sua empresa é essencial para gerar uma boa impressão.

Poste feedbacks positivos com frequência nas redes sociais e mostre que com sua marca as pessoas atingem os objetivos que desejam.

Notícias e atualizações

Tenha o costume de compartilhar notícias e informações a respeito do seu nicho. Além de manter o público atualizado, isso mostra que sua empresa está sempre atenta às mudanças e reinvenções do mercado.

Para isso, um blog é muito importante, pois servirá como um portal onde seu público poderá acessar quando quiser determinada informação.

Guias e dicas

O marketing de conteúdo tem como premissa gerar informações de valor a fim de conquistar o cliente.

Entendendo quais são as dores desse possível cliente, a melhor forma de conquistá-lo é oferecendo uma solução simples.

Sendo assim, crie ebook, artigos, vídeos ou até mesmo posts contendo dicas ou o passo a passo para resolver determinados problemas.  

Negócios b2b também podem ter estratégias de marketing de conteúdo
Negócios B2B não podem ter estratégia de conteúdo? Fake!

Agora que você já sabe como fazer o marketing de conteúdo ideal para negócios B2B, aprenda aqui como criar anúncios para esse segmento e conquiste cada vez mais clientes!

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Adoramos feedbacks e também gostaríamos de colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

Aposte em estratégias SEO e revolucione seu site

SEO

Estratégias SEO são as principais ações que você colocará em prática para potencializar o tráfego do seu site, de forma orgânica.

Se a sua empresa tem um website, este post é para você. Cada vez mais, o visual de um site vai ficando em segundo plano no momento de definir seu sucesso. Como resultado prático, para um site oferecer retorno para uma empresa ele precisa de tráfego. Ou seja, você precisa levar as pessoas até ele.

Para que isso ocorra, é fundamental que a distribuição de conteúdo dentro de um site seja muito bem explorada, através de diversas opções de técnicas. Uma dessas técnicas para se gerar tráfego orgânico é apostar em estratégias SEO, sigla para Search Engine Optimization. Numa tradução livre, seria otimização para motores de busca. Ou se formos bem diretos, otimizar seu site para ser encontrado no Google.

Um site bem otimizado, com conteúdo relevante, certamente terá acessos. Para isso, ele deve conter boas palavras-chave, distribuir estas palavras-chave através da navegação e ser, claro, atraente ao público. Mas como isso é feito?

O que é SEO?

Como já antecipamos o que esta sigla significa, vamos explicar como isto funciona, na prática. SEO é um conjunto de técnicas e estratégias que permitem que um site melhore seu posicionamento nos resultados orgânicos do Google.

É uma das principais estratégias de Marketing de Conteúdo. Em cada busca, o Google procura organizar os conteúdos em um ranking que ofereça as melhores respostas nas primeiras posições. E os números abaixo, segundo o site Rock Content, mostram que os usuários confiam nesse julgamento do buscador:

  • Os três primeiros links orgânicos recebem cerca de 30% dos cliques;
  • Apenas 0,78% dos usuários clicam em algum link na segunda página dos resultados.  

Funcionamento dos motores de busca

Diante de um cenário onde a internet nos mostra a multiplicação de sites, redes sociais e milhares de informações, as empresas buscam modos de se destacar e aproveitar as oportunidades de alcance que a web proporciona para a realização de negócios.

Nesse sentido, os sites de buscas são ferramentas que contam com a automação de pesquisas, que varrem a web e indexam os assuntos da melhor maneira para disponibilizar esses dados organizados aos usuários. Para isso, esses mecanismos de buscas utilizam algoritmos que classificam as páginas da web de acordo com um determinado termo ou tema, apontando a relevância de cada página dentro de uma determinada consulta.

O algoritmo do Google, por exemplo, utiliza três procedimentos para fazer esse levantamento e oferecer as informações aos usuários.

SEO: Google é o principal buscador
Disparado na preferência mundial, o Google é sinônimo de “motor de busca”. Se você não está no Google, você não está na internet!

1- Rastreamento

O primeiro deles é o rastreamento, processo pelo qual o Googlebot identifica as páginas novas para enviar esses dados ao índice do buscador. Para realizar essa ação, os robôs utilizam algoritmos para determinar a priorização e a frequência de indexação.

O processo é realizado com as URLs geradas por processos anteriores. O Googlebot visita cada uma das páginas, verifica a existência de novos links ou alterações e envia essas informações para a indexação, atualizando suas informações.

2- Indexação

Aqui é onde a mágica acontece. A indexação é o próximo processo, no qual o Googlebot realiza a análise e o processamento de todas as novas páginas e também das alteradas, incluindo todas elas em seu índice.

São indexadas informações acerca do conteúdo do site, sua data de publicação, título, descrição, performance, região e dados estruturados.

3- Busca

Por fim, temos o terceiro processo, a busca propriamente dita. Como você deve ter percebido, ela não ocorre diretamente na web, mas sim em um índice do próprio Google. É possível que as páginas listadas já não existam mais ou que tenham sido alteradas, já que leva um tempo para que essa atualização ocorra.

Quando realizamos uma pesquisa no Google, a resposta obtida não é aleatória. Ela é embasada em mais de 200 fatores de ranqueamento, mas saiba que a empresa não revela quais são os pontos mais relevantes para realizar o ranking das respostas. Mesmo assim, temos uma boa ideia de como melhorar o posicionamento, e isso é feito por meio do SEO.

On page

Ações On page são todas as alterações realizadas dentro das páginas e que são entendidas como boas práticas de estratégias SEO pelos algoritmos do Google, pois permitem que os robôs entendam do que trata o seu conteúdo.

Existem vários elementos que devem ser verificados, porém, vamos listar apenas os principais.

Autoridade

Há um importante ponto a ser entendido quando trabalhamos com estratégias de SEO: ela é eficaz, mas os resultados são obtidos em médio e longo prazo. Isso significa que é preciso ter paciência e consistência para que o posicionamento almejado seja alcançado.

Isso acontece porque outro critério bem conceituado na hora de ranquear páginas nas buscas é a autoridade do domínio (Domain Authority). Há uma mescla entre a quantidade de tempo de existência do site e a relevância de seu conteúdo para os usuários.

Cada página avaliada herda a autoridade do domínio em que está hospedada, por isso é importante trabalhar não apenas alguns conteúdos que se acredite serem mais valiosos, mas sim garantir estratégias SEO de todo o site.

A nota para a autoridade vai de 1 a 100. Quanto mais alta a nota que um determinado domínio recebe, maior o Domain Authority, tornando o site mais bem cotado em um ranqueamento em relação a outra página com menor autoridade.

Por conta disso, caso você esteja na fase de planejamento do seu site, não perca tempo para colocá-lo no ar, mesmo que ainda não tenha muito conteúdo. Uma vez que as páginas estiverem na web, elas já começarão a gerar autoridade.

Performance da página

Outro ponto muito importante para o ranqueamento de uma página em uma pesquisa diz respeito à sua performance. Caso o seu site leve mais de 2 segundos para ser carregado em um navegador com condições normais de internet, o Google o penaliza por prejudicar a experiência do usuário.

Ou seja, o design de uma página é fundamental, mas carregá-la de informações, imagens pesadas e vários GIFs pode não ser uma boa ideia em termos de performance. Isso deve ser levado em consideração na hora de construir um site.

Existem algumas formas de contornar essa situação, por exemplo, reduzir imagens e GIFs, minimizar sua qualidade, realizar carregamentos posteriores e outras técnicas simples e interessantes.

Arquitetura do site

Como falamos, as informações de um site são lidas pelo Googlebot. Ele espera que exista uma determinada ordem lógica de conteúdo, e a falta dessa organização pode dificultar o entendimento do algoritmo a respeito do real conteúdo disponibilizado, o que provoca um impacto direto no ranqueamento.

A estrutura das informações dentro da página é fundamental para a navegabilidade, o entendimento e a experiência do usuário, por isso, nada mais natural que o Google levar esse ponto em consideração na hora de ranquear os resultados.

É preciso seguir uma ordem lógica de cabeçalho, corpo de texto, rodapé e tags de títulos e intertítulos (H1, H2 e demais). Fontes de destaque também são importantes para demonstrar ideias centrais dentro do conteúdo da loja ou do site.

Quando um usuário entra na página, os títulos e intertítulos já dão uma ideia de como a informação está dividida e de onde o usuário pode procurar aquilo que busca. Chamamos isso de escaneabilidade, uma organização simples que auxilia o leitor a entender a arquitetura do conteúdo e permite uma leitura fluida.

Off page

Estratégias SEO não são feitas apenas dentro de seu site. É possível realizar ações também fora do seu domínio para gerar mais autoridade e chamar a atenção para suas páginas, gerando relevância na web e melhorando o ranqueamento.

Esse processo se chama SEO off page e consiste na construção de links em outras páginas. Essa atividade pode ser feita com a participação em fóruns ou por meio de comentários em redes sociais, blogs e outros sites, fazendo menção à sua marca.

Backlinks

Algo também comum para realizar essa atividade é o fechamento de parcerias com outros domínios de autoridade para a publicação de artigos que contenham links para o seu site.

A quantidade de links que apontam para as suas páginas tem um grande peso no ranqueamento do Google. O mecanismo considera que as citações de seus conteúdos em outros locais são como votos de confiança que demonstram que outras pessoas acreditam naquilo que você apresenta e acham seu conteúdo valioso.

Isso influencia diretamente na autoridade de domínio, demonstrando que o seu site é reconhecidamente um influenciador em determinado tipo de assunto, de acordo com os links construídos.

Menções à marca

Já falamos sobre os backlinks e como eles são importantes para a sua empresa. Porém, as simples menções à marca também são interessantes para gerar autoridade e criar relevância. Para isso, apenas uma citação, em vez de um link, já tem valor.

Os algoritmos do Google estão cada vez mais avançados e são capazes de ler e entender quando uma citação está se referindo a uma determinada marca, identificando o contexto dessa citação e analisando se ela é positiva ou negativa.

O que é palavra-chave?

Um dos fatores mais importantes para um bom posicionamento nos motores de pesquisa é a escolha correta da palavra-chave. Em resumo, é o termo de busca que o usuário pesquisa para alcançar uma página. Por exemplo, alguém que precisa comprar um tênis de corrida poderá pesquisar pelo termo “melhor tênis para correr”.

Por isso, é muito importante fazer pesquisas de palavra-chave para encontrar os termos que são relevantes para o seu público-alvo. Uma das boas opções é o próprio Google Keyword Planner.

Head Tail

Estas são as palavras-chave curtas, com uma ou duas palavras, e que representam o segmento como um todo. Ou seja, são amplas e genéricas e não segmentam buscas. Além de um volume gigante de buscas, a concorrência é enorme e isso pode prejudicar o seu ranqueamento.

Termos de busca muito curtos, como “vestido” ou “sapato”, são exemplos claros destas palavras-chave head tail. Por outro lado, palavras-chave como “vestido vermelho para festas” e “sapato de salto agulha” trazem outro conceito chamado de Long Tail.

Long Tail

Estas são as palavras-chave mais longas e específicas, que ajudam seu posicionamento nos mecanismos de busca. A cauda longa é extremamente recomendada para pequenas e médias empresas que não possuem capacidade de investimentos em mídia paga, já que abre diversas opções por meio de palavras-chave de menor competitividade.

Esses termos possuem mais palavras que as mais buscadas e, por isso, segmentam melhor as buscas feitas no Google. Mesmo não apresentando um grande volume de buscas, com palavras-chave long tail você foge da grande concorrência e encontra mais facilmente seu público-alvo. O conceito advém do livro ‘A Cauda Longa – Do mercado de massa para o mercado de nicho’, de Chris Anderson. Consiste em vender pequenas quantidades de uma grande variedade de itens, ao invés de somente alguns produtos populares. Assim, enfrenta menos concorrência, porém com grande volume de vendas.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui. Saiba que oferecemos o serviço de desenvolvimento web, com sites 100% otimizados com as melhores estratégias SEO. Confira tudo com a nossa equipe de especialistas!

6 estratégias de marketing digital no Linkedin

linkedin

Maior rede social de negócios do mundo, o Linkedin oferece diversas opções de estratégias de Marketing Digital que devem ser levadas em conta ao explorar tudo que essa plataforma oferece. Ainda não faz parte dessa rede? Então bora saber como fazer!

É simples: quando você identifica onde seu potencial cliente está, é para lá que você deve ir. Essa máxima vale tanto para lojas físicas quanto para o mundo digital. Cada vez mais, as marcas investem em presença online e têm obtido retornos excelentes. Mas, claro, tudo deve ser feito com o devido planejamento e com o cuidado para não “meter os pés pelas mãos”.

Perfil pessoal ou conta empresarial? Como descubro se meu público está no Linkedin? É igual ao Facebook e o Instagram? Essas e outras diversas perguntas surgem aos montes nos contatos que temos com possíveis clientes e nos atendimentos dentro dos Workshops que a Gama ministra. E é sobre tudo isso que a gente vai falar agora!

O que é o Linkedin?

Para começar, vamos te explicar desde o começo. Provavelmente você nem saiba, mas o Linkedin surgiu em 2003. Isso mesmo, há 17 anos, amigos perceberam que ainda não existia um ambiente online focado em relacionamentos voltados para o mercado de trabalho. A partir de então, convidaram 300 participantes para o teste e fundaram o LinkedIn.

Mesmo demorando para emplacar aqui no Brasil, o Linkedin se consolidou mundialmente há bastante tempo e tem crescido na preferência das empresas por aqui. Há diversas opções de uso e principalmente de estratégias de Marketing Digital para Linkedin. Prova disso é o relatório Social Media Trends, estudo da Rock Content que mostra o aumento dos números desta plataforma.

Cada vez mais pessoas aderem ao Linkedin como rede social principal
Crescimento do Linkedin é alto entre 2019 e 2021. A tendência é de sequência desse aumento.

A rede surgiu para ajudar profissionais ao redor do mundo a compartilhar informações sobre suas carreiras e, assim, tentar se inserir no mercado, seja se apresentando para novos empregos ou mesmo ampliando a presença digital da sua empresa. Atualmente, conta com mais de 550 milhões de usuários ativos.

Uma das provas do sucesso do Linkedin na área corporativa é a plataforma de vagas, chamada LinkedIn Job Search, que é uma das principais formas de contratação de muitas empresas.

Quais são as ferramentas oferecidas no Linkedin?

Bom, se você ainda não conheceu o Linkedin, ao abrir a plataforma você vera um layout e encontrará funcionalidades muito parecidas com outras plataformas, principalmente como o Facebook. Para iniciar, você escolherá uma foto, definirá nome e a descrição da página, colocará sua localização, sites e/ou outras redes sociais.

Uma diferença muito importante na rede é a existência de perfis pessoais e Company Pages (que seriam as Fanpages do Facebook). No caso de empresas, indicamos seguir a segunda opção. As Company Pages contam com uma série de informações e relatórios estratégicos entregues pelo próprio LinkedIn sem custo algum. Com eles, será possível analisar pontos positivos ou questões a serem melhoradas na gestão da página.

Perfil pessoal no Linkedin

Se você não é dono de um negócio ou não gerencia uma empresa, seu uso do Linkedin será limitado a relacionamentos profissionais com outras pessoas interessados nos mesmos assuntos, além de busca de emprego ou intercâmbio de conteúdo. E, além disso, se você tem um negócio é importante que seu perfil pessoal seja bem interessante, afinal você é a sua empresa. Então, lá vão algumas dicas rápidas para você criar um perfil pessoal atraente:

  • Prefira mostrar o que você sabe, ao invés de somente escrever (a não ser que sua expertise seja a escrita 😊);
  • Peça recomendações de amigos, conhecidos e parceiros comerciais que tenham relacionamento com seu segmento de atuação;
  • Otimize as palavras e elimine as dispensáveis. Foque em causar boa impressão logo de cara, evitando as palavras mais usadas para descrever a si mesmo, como criativa, organizacional ou eficiente.

“Se você está usando as mesmas palavras que todos os usuários do LinkedIn, está se misturando. As buzzwords (palavra ou frase de efeito para impressionar) são realmente apenas palavras vazias. Ninguém está prestando atenção de verdade nelas”.

Nicole Williams, diretora de conexão do LinkedIn.

Company Pages no Linkedin

A criação de uma página de empresa é bem semelhante à criação pelo Facebook. Porém, no Linkedin há informações bem mais detalhadas. Logo no início do processo de criação, você poderá informar tamanho/proposta da empresa. As opções são:

  • Pequena Empresa: menos de 200 funcionários;
  • Média a grande empresa: mais de 200 funcionários;
  • Showcase page: associada a uma Company Page existente;
  • Instituição de ensino: escolas, faculdades, universidades.

Depois disso, lembre-se de informar o máximo de dados referentes ao seu negócio. Quanto mais detalhado, maior a chance da sua empresa ser encontrada nas buscas. Página criada, comece a explorá-la!

Conceitos básicos deverão ser levados em conta para utilizar a rede. Assim como as outras redes sociais, você deve ter uma frequência de postagens, explorar os conteúdos relevantes e, principalmente, interagir com seus seguidores.

Como obter resultado com estratégias de Marketing Digital no Linkedin

Agora que você já sabe como dar o primeiro passo para estar no Linkedin, é a hora de planejar e executar as estratégias de Marketing Digital. Sim, como sempre falamos, o primeiro passo é sempre o planejamento.

Assim como em outras redes sociais, os conteúdos relevantes têm um desempenho muito interessante no Linkedin. A diferença é como você posiciona estes conteúdos e a quem você está promovendo-os. Dando check nos primeiros pontos do planejamento – público-alvo definido, objetivos SMART estabelecidos e orçamento alocado – você poderá então colocar em prática as melhores estratégias de Marketing Digital no Linkedin.

Papel e caneta em mãos? Ou melhor, notebook em mãos?! Ok, então vamos à nossa lista com 6 estratégias de Marketing Digital no Linkedin.

1- Demonstre seu conhecimento e autoridade

No LinkedIn, conteúdos gerados por outras pessoas tendem a ser melhor recebidos. Por isso, é importante focar na distribuição de publicações por meio de perfis, em contas individuais. O público gosta de conferir compartilhamento de experiências, ideias e perguntas.

Assim, encoraje os seus colaboradores a publicarem artigos sobre temas relacionados à sua marca, compartilharem links do seu site e fazerem parte da sua estratégia de marketing. Quanto mais pessoas falarem bem sobre a sua empresa, produtos ou serviços, melhor será para construir uma boa imagem.

2- Conteúdos geram relacionamentos de qualidade

Essa dica é muito relacionada a outras redes sociais. Quando as pessoas percebem que uma marca tem autoridade sobre determinado assunto, a aproximação é natural, pois potencializará esse conhecimento. Por isso, cada conteúdo deve ser planejado e conduzido para isso.

O compartilhamento de conhecimento é valioso, pois atrai interesse, gera engajamento e demonstra que você, de fato, entende daquilo. Essa troca é fundamental, pois vai tornar o relacionamento com seu potencial cliente muito mais natural.

3- Use as palavras-chave certas

Aqui destacamos uma estratégia que difere de outras redes sociais, principalmente do Instagram. Para encontrar as principais palavras-chave do seu segmento de mercado, aplique as técnicas SEO (confira AQUI como fazer) assim como faria em estratégias do Google. Pesquise quais termos estão em alta no Linkedin e use esses dados para criar seus conteúdos.

Priorize os termos com mais ocorrências e menos concorrências. Para te ajudar, indicamos algumas ferramentas:

  • Keyword Tool: pesquise Keywords em diversas plataformas e encontre as mais utilizadas;
  • Google Keyword Planner: o planejador de palavras-chave do Google vai te entregar boas soluções na obtenção de termos pesquisados;

4- Linkedin Ads

Este é um dos grandes diferenciais do Linkedin em relação a outras plataformas de anúncio. O visual e a forma de anunciar é muito semelhante ao que o mercado já está acostumado com Facebook Ads. Porém, a segmentação é muito mais precisa e pode entregar resultados muito bons.

O ponto negativo é o valor, pois o custo de anúncio mínimo ainda é alto, o que impede que sejam feitos muitos testes. Porém, acredite, o retorno é certeiro se você souber criar bem o seu público. Seu anúncio será entregue para quem realmente tem interesse nele!

Nas campanhas de Linkedin Ads, você pula etapas que são fundamentais na Jornada de Compra em outras plataformas digitais. Os leads são mais qualificados, pois seus anúncios são direcionados para o fundo do funil.

5- Crie showcase pages

Além da sua página de empresa, o Linkedin oferece uma opção muito interessante como estratégia de Marketing Digital. As showcase pages são estilos de vitrines para conteúdos diversos, onde você pode apresentar produtos e serviços de uma forma diferente.

Para quem tem mais de uma linha de produtos, diferentes submarcas ou até mesmo serviços específicos, essa é uma maneira para segmentar melhor o que sua empresa oferece. Mais que isso, para o público é uma grande vantagem poder seguir apenas os conteúdos que o interessam.

6- DICA EXTRA | Ebook gratuito

Deixamos por último uma dica muito legal, que engloba todas as outras e ainda trará novas soluções para a sua atuação no Linkedin. Pensando na qualificação dos usuários da sua plataforma, o Linkedin oferece um ebook gratuito:

“Um guia estratégico com entrevistas e dicas de líderes de marketing combinadas com insights especializados da nossa equipe de Soluções de Marketing do LinkedIn sobre como anunciar para quem importa”

Linkedin

Para fazer o download, não precisa nem ter conta criada na plataforma, basta clicar AQUI, preencher o cadastro e baixar!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui. Se a sua empresa atua B2B, entre em contato com a nossa equipe e descubra como podemos te ajudar!

Google Meu Negócio turbina a presença digital da sua empresa

Google Meu Negócio

Neste post, vamos falar sobre o Google Meu Negócio, mais uma ferramenta gratuita do Google oferecida para potencializar seu alcance dentro dos mecanismos de pesquisa, ampliar sua presença digital e facilitar sua relação com potenciais clientes. Se você tem um negócio local, ou comanda qualquer estabelecimento com endereço físico, saiba que este texto vai fazer a diferença na sua empresa.

O sistema de gerenciamento pode até lembrar algumas conhecidas redes sociais, mas o Google Meu Negócio surge como outro grande aliado, pois é totalmente integrado aos mecanismos de pesquisa, e funciona como um belo aprendizado para quem está começando.

Quando surgiu o Google Meu Negócio

Lembra das listas telefônicas? Pois então, lá em 2004, foi lançado o Google Local, uma espécie de mecanismo de busca voltado para empresas, no melhor estilo páginas amarelas.

Google Local
Alguém aí se lembra desse layout?

A partir desta ideia, foi iniciada uma sequência de adaptações e novas ferramentas. Vamos a elas:

  • 2005: É lançado o Google Maps, adicionando às funcionalidades com o Google Local. Naquela época, o grande barato era buscar sua casa ou bairro (entregando a idade em 3, 2, 1…) no Google Earth.
  • 2005: É criado o Google Local Business Center, recurso que habilitava a inclusão das empresas nas listas do Google Local, limitado aos administradores de negócios.
  • 2009: Surge o Google Place Pages, que reunia todas as informações possíveis sobre um local no mesmo lugar, como dados de contato, endereço, fotos e demais informações interessantes.
  • 2010: Com a adição do Hotpot, as empresas passaram a ser recomendadas. Assim, os usuários começaram a ser auxiliados na hora de decidir por um local, através de opiniões de terceiros.
  • 2014: Enfim, nasce o Google My Business, que foi capaz de reunir em uma só ferramenta todas as qualidades já criadas, oferecendo um serviço completo ao usuário.

O que é o Google Meu Negócio?

Como vimos acima, o Google Meu Negócio oferece a um negócio local todas as funcionalidades que foram surgindo ao longo dos anos para auxiliar esta empresa a ter sua presença digital. O serviço é gratuito e já ocupa parte considerável das estratégias de Marketing Digital. Se você estiver em dúvida sobre como começar a planejar, dá uma olhada nesse post onde falamos sobre planejamento de marketing em 4 etapas.

Ao se estabelecer em um endereço físico, qualquer empresa ou pequeno negócio pode ter seu perfil no Google Meu Negócio. Este perfil nada mais é que uma ficha de apresentação do seu negócio. Eventualmente, os proprietários de negócios locais nem sabem se sua empresa tem um perfil no GMN. Acreditem, acontece!

Como o serviço visa 100% à melhor experiência do usuário, o próprio mecanismo do Google identifica que uma empresa existe naquele endereço, e cria o perfil automaticamente. Aquele perfil pode ser atualizado com informações válidas e fotos enviadas por usuários que estiveram no local ou que efetivamente estão o buscando no Google. Colaborativo total!

Quem pode ter?

Se você é proprietário de um estabelecimento físico, um negócio local ou tem uma empresa que atende no local do cliente, você não só pode, como deve ter um perfil no Google Meu Negócio!

Como funciona o Google Meu Negócio

Ao fazer uma busca no Google, o usuário utilizará algumas palavras-chave que serão usadas pelo algoritmo para determinar alguma referência comercial relacionada. Com a pesquisa efetuada, o próprio Google mostrará a ficha do local mais relevante.

busca no Google Meu Negócio
Exemplo de busca direta por empresa específica.

Além da ficha (que aparece como destaque), seu perfil também pode aparecer na lista de locais do Google Maps e, claro, se ele for relevante e estiver bem relacionado aos termos da pesquisa certamente estará bem colocado.

Exemplo de busca segmentada por interesse.

Mas, não pense que criar o perfil já basta para aparecer nas buscas. Nem sempre os termos pesquisados batem com o que seu perfil oferece. Portanto, confira algumas dicas para melhorar seu ranqueamento.

Critérios de busca

Para determinar quais perfis aparecem em primeiro nas pesquisas, o Google avalia três pontos fundamentais:

  • Relevância: considera o match perfeito entre um negócio local e a pesquisa do usuário. Trata-se de um retorno personalizado, baseado em buscas, histórico de pesquisa e localização do usuário.
  • Localização: considera a relação de distância entre perfil, a palavra-chave e o usuário. A não ser que na busca esteja bem clara alguma indicação de local (exemplo: “churrascarias em Sapucaia do Sul”), o Google utiliza dados de navegação, segundo históricos e informações do GPS.
  • Proeminência: considera a popularidade do negócio. Isto é: avaliações, média de classificação, comentários, cliques e tráfego na ficha. São vários componentes que incluem a reputação, o alcance e até mesmo seu site oficial, caso tenha.

Informações necessárias

Ao aparecer nas buscas dos usuários, um perfil do Google Meu Negócio oferece algumas informações imprescindíveis, outras importantes e outros detalhes que podem se tornar diferenciais.

Página Inicial

Estas são as primeiras informações que aparecem na sua ficha. Elas aparecerão na tela de busca, para todos usuários visualizarem.

  • Fotos: mostra a foto de capa, a imagem do Street View e o visual reduzido do mapa
  • Nome comercial: não invente novidades, este é o campo que contém o nome oficial do seu negócio
  • Botões clicáveis: são três botões que geram tráfego para seu site, inicia uma rota para chegar até seu endereço ou salva seu perfil
  • Endereço completo: indispensável, o endereço do seu negócio é a principal informação
  • Horário: não erre no seu horário de funcionamento, ele será peça chave nas buscas do Google Maps. Uma loja fechada perderá lugares nas buscas
  • Telefone: mais uma ferramenta diferencial de CTA, o seu contato deve ser explorado para interagir com seus clientes

Diferenciais

Elimine obstáculos no momento de decisão do seu cliente com as seguintes informações, que também aparecerão na página inicial da tela de buscas.

  • Perguntas e respostas: Tire as dúvidas de seu potencial cliente antes mesmo dele questionar
  • O que há na loja: Se você oferece produtos específicos, eles poderão aparecer no seu perfil em forma de catálogo
  • Comentários: considere o que outras pessoas, clientes ou não, estão comentando sobre a sua empresa
  • Sobre: Descrição completa da empresa

Conteúdo

Ao acessar o perfil de uma empresa no Google Meu Negócio, o usuário terá mais acesso a outras funcionalidades.

  • Imagem: nesta seção, pode-se adicionar logotipo, foto de capa, fotos do local (separadas por ‘interior’ e ‘exterior’), 360º, vídeos e ainda centralizar as fotos enviadas por clientes
  • Horários de pico: gráfico criado automaticamente pelo Google, mostra a hora que mais registra visitantes à sua loja
  • Ampliado: todas informações contidas na página inicial, aqui são ampliadas, mostrando todas avaliações e comentários, o mapa completo, entre outras opções específicas

Como melhor explorar o Google Meu Negócio

Assim como acontece em conteúdos de websites, artigos de blogs, entre outros, é fundamental se ater às técnicas de SEO (Search Engine Optimization) para obter melhor ranqueamento nas buscas da plataforma. Neste caso, palavras-chave são o foco principal, com muitas informações relacionadas ao seu negócio.

Mas somente isso não basta. Tenha em mente que você precisa tratar seu perfil como se o usuário estivesse o visualizando ao cruzar uma rua. Ao passar pela sua vitrine, além de chamar sua atenção, você deve indicar as principais informações do seu negócio.

Dados completos

Como mencionei antes, o Google mostrará primeiro aqueles perfis que são mais relevantes para cada pesquisa. Por isso, sempre confira se todos seus dados estão corretos e verifique se, de fato, foram inseridas todas informações relevantes para seu cliente. Dentre os principais dados estão endereço físico, número de telefone, categoria e atributos.

Confirme seus locais

Já dissemos que eventualmente alguns proprietários de empresas nem sabem que têm perfil no Google Meu Negócio. Portanto, confira se seu estabelecimento está lá para que ele apareça nas ocorrências de pesquisas no Maps e no Google.

Se seu perfil de empresa já existe, você poderá reivindicar esta propriedade. Se não, é bem simples criar o seu, tanto pelo Google Meu Negócio quanto através do Google Maps.

Horário de funcionamento

Parece uma dica banal. Mas saiba que esta é uma das principais reclamações dos usuários que buscam informações no Google Meu Negócios. Muitas empresas mantém horários desatualizados, ou mesmo esquecem de informar corretamente qual período do dia há atendimento.

Também é permitido informar previamente as informações referentes a atendimentos em datas especiais, como feriados, eventos específicos e inclusive restrições durante o período de pandemia.

Atenção às avaliações e interações

A interação com seus potenciais clientes é fundamental e uma prática incentivada por nós para que você explore tudo que o Google Meu Negócio pode oferecer. Nesse sentido, é imprescindível dedicar atenção às avaliações, mesmo – e principalmente, em alguns momentos – as negativas.

Além disso, o Google Meu Negócio permite que você faça postagens de imagens, vídeos, promoções de produtos, entre outras funções. Avalie a reação dos usuários e interaja para demonstrar que está ali para atendê-lo.

Fotos e vídeos

Este é um diferencial. Já sabemos que boas imagens chamam atenção dos clientes. Nesse caso, elas são a apresentação do seu negócio para um potencial cliente. Portanto, abuse na criatividade e na qualidade das fotos e vídeos, para impactar logo de cara e trazer o usuário para o seu perfil. Uma das métricas de sucesso do GMN é justamente o quanto suas fotos são visualizadas e o comparativo com outras empresas de mesmos segmentos de atuação.

Exemplo de empresa que explora muito bem suas fotos, em comparação com outras do mesmo segmento.

Insights

A deixa do item aí de cima foi perfeita. O Insights é a seção do Google Meu Negócio que te dá TODAS informações relevantes do desempenho do seu negócio, em tempo real, durante o período que você quiser.

Nos insights, você terá acesso a quais palavras-chave mais encontraram seu negócio nas buscas, de que forma os clientes chegaram até o seu perfil, onde eles veem sua empresa (Maps ou pesquisa) e as ações executadas, views de fotos, chamadas telefônicas (separadas por dias e horários) e horários de maior movimento.

Ads pelo Google Meu Negócio

Caso os insights te tragam resultados de desempenho que não te permitem seguir crescendo de forma orgânica, considere as opções de anúncios. Diferente da complexidade da plataforma de anúncios Google Ads, os recursos do Google Meu Negócio te permitem criar campanhas de tráfego pago em poucos passos e de forma simplificada.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui. Google Meu Negócio é uma das nossas especialidades e a sua empresa não pode ficar de fora. Contate a nossa equipe agora mesmo!

Copywriting: 12 dicas para criar textos que vendem

copywriting

Se você ainda não conhecia, está na hora de descobrir a técnica de copywriting, utilizada na elaboração de textos persuasivos que vendem. Ou ao menos são capazes de convencer o público a tomar a decisão que você quiser.

Se você tem um negócio, seja ele digital ou não, as pessoas precisam saber o que você faz da maneira mais rápida possível. Senão, elas vão embora e partem para o primeiro concorrente que se preocupa em oferecer isso pra ela.

No Brasil, há mais de 230 milhões de smartphones ativos, mais 180 milhões de computadores, tablets e notebooks. Além disso, o país ocupa a sexta colocação no ranking mundial de assinatura de banda larga fixa, com mais de 31 milhões de assinantes. Em relação às redes sociais, o brasileiro passa 225 minutos do dia conectado a estas plataformas, tornando o Brasil o segundo país mais “social” do mundo.

Vários celulares conectados

Entendeu por que você deve estar conversando com esse público? As redes sociais estão gerando cada vez mais engajamento entre marcas e consumidores, além de serem o principal canal de vendas de alguns negócios. E tem mais uma surpresa (contém ironia!): o Google é o principal meio de buscas!

Sabe por que a gente falou tudo isso? Porque você precisa criar muito conteúdo relevante para seu público-alvo e convertê-los em consumidores. E se há produtos à venda, a melhor opção é focar no copywriting e produzir uma bela copy! Mas como fazer isso?

O que é copywriting?

Copywriting é uma estratégia de produção de conteúdo com o objetivo de guiar a sua audiência para a tomada de decisão do seu interesse. Esta estratégia é amparada por uma forte pesquisa de necessidades do público e análise de performance de textos, com alto potencial de resultados a curto prazo.

Mas, tome cuidado. Tem muitos elementos publicitários, no entanto esses conceitos se distanciaram ao longo dos anos. Até mesmo porque esse conceito é beeem antigo.

Um breve olhar histórico sobre copywriting

  • 1828: o termo copy é introduzido no mercado na comunicação, indicando algo original que deve ser imitado na escrita e na impressão. Aqui o mercado do jornalismo separa informação de publicidade.
  • 1870: como uma evolução natural, agora existe o profissional responsável por produzir textos específicos para anúncios, sendo separado da redação de notícias. Ele é o copywriter.
  • Século XX: o mercado da comunicação se volta para a publicidade, valorizando muito este novo profissional e gerando fortunas para as grandes agências situadas em, principalmente, em Nova York.
  • Século XXI: há uma revolução no mercado da comunicação a partir da sua digitalização, alavancado pelos fenômenos globais de banda larga e redes sociais. É o momento do Marketing Digital.

12 dicas de copywriting para criar sua copy ideal

Além de escrever textos com conteúdo relevante, utilizar-se das técnicas de copywriting exige algumas premissas para se chegar ao texto que atrai, converte e vende. Se esses são os seus objetivos, preste atenção nessas dicas e pare de errar na produção dos seus textos!

1- Conheça seu público-alvo

De nada vai adiantar fazer um texto perfeito e apresentá-lo para um público que não está interessado no conteúdo. Sendo assim, o primeiro passo é conhecer seu público-alvo. Se tiver uma ideia clara disto, aprofunde-se ainda mais e defina a persona do seu cliente. Pense numa pessoa mesmo, idade, sexo, ocupação, interesses, hobbies e outro tipo de informação que seja relevante para entender o comportamento dessas pessoas.

Assim, será possível produzir um conteúdo direcionado para os seus potenciais consumidores, com estilos, chamadas e situações que se aproxime às deles, aumentando a possibilidade de conversões.

2- Crie títulos atraentes

Pense numa loja com uma vitrine feia. Assim será seu texto com um título pobre. Ou seja, seu público vai procurar pela próxima vitrine. Existem diversas técnicas para criação de headlines perfeitas para cada objetivo. Perguntas, provocações, soluções, estatísticas e chamadas diretas são alguns exemplos de bons títulos que irão chamar a atenção.

Dica técnica: título direto, conciso (em torno de 55 caracteres) e contendo a(s) palavra(s)-chave que você escolheu.

Isso tudo o ajudará não só a chamar atenção de quem acessa seu texto, mas também é um dos elementos mais importantes para estar bem ranqueado nas buscas do Google.

3- Seja direto

Já falamos disso no item acima, mas é importante reforçar que o texto também deve ser objetivo e direto. Principalmente no sentido de chamar a atenção do leitor, é imprescindível usar verbos no imperativo, que despertem o sentimento de pertencimento àquilo e necessidade de executar alguma ação.

Certifique-se de cumprir a promessa de seu título na primeira linha do post, por exemplo. Se o seu leitor clica e não vê o que foi prometido imediatamente, ele sai do seu site.

4- Conte sua história

Uma das melhores estratégias para criar uma forte conexão com o seu público é contando uma bela história. Essa técnica é chamada de storytelling, e cria empatia com o público que passa a vivenciar o que está lendo e se colocar naquela situação.

Quer saber como fazer isso? Com vocês, o cineasta Andrew Stanton:

5- Escreva naturalmente

A pessoalidade na escrita também pode se tornar um grande diferencial. Ao invés de parecer aquele atendente chato de telemarketing tentando vender algo, a escrita natural – em determinadas ocasiões podendo chegar muito próximo ao jeito como você fala – acaba soando como um conselho de amigo.

Seguindo essa dica, você passará a se aproximar do seu leitor, criando uma conexão e facilitando a leitura.

6- Valorize a palavra-chave

As palavras-chave são essenciais para que seus textos sejam exibidos no Google, essa é uma das premissas do SEO. Mais que isso, dê atenção e valorize sempre o assunto principal da sua copy. Durante toda a construção do seu texto você deverá enfatizar sempre o tema do texto.

Pegando esse texto mesmo, aaacho que você já deve ter percebido que a palavra-chave escolhida é copywriting, certo? Então, você vai encontrar esse termo durante toda a construção do meu artigo. Mas tenha cuidado, não exagere e respeite seu leitor 😉

7- Mostre os benefícios

Não há uma regra, mas em boa parte dos casos as pessoas estão em buscas de benefícios diferenciais do produto. Em alguns casos específicos, é bem verdade, as características ou até detalhes técnicos do produto podem fazer diferença.

Landing Page Treinamento em casa
Foco nos benefícios e não em características técnicas. E, nesse caso, um combo benefícios + design + botão com CTA.

Quando você detalha demais o seu produto ou serviço e esquece de mostrar os benefícios, ou até os ganhos que o consumidor terá com esta experiência, você acaba focando em decisões racionais. E o grande diferencial de uma boa copy é atacar o emocional do leitor.

8- Gatilhos Mentais

Já que a deixa foi dada na dica anterior, chegamos a um dos grandes diferenciais do copywriting. Os gatilhos mentais são estímulos que o nosso cérebro recebe, que influenciam diretamente a nossa tomada de decisão. Com tantas ofertas e opções de escolha, funcionamos em “piloto automático” para evitarmos o esgotamento. Estimular de forma estratégica estes gatilhos é uma poderosa arma de persuasão.

Entre os principais gatilhos, destacamos 6: reciprocidade, aprovação social, afinidade, autoridade, compromisso e escassez. E para saber mais sobre esta importante técnica de persuasão, confira o noss posta que trata somente sobre esse tema:

9- Estruture seu texto

O comportamento dos usuários de internet é muito parecido, independente do que buscam e do seu perfil pessoal: multitarefas! Sendo assim, não queremos perder tempo, certo? Porém, para atender a essas demandas é preciso considerar os canais onde esse texto será apresentado. Por isso, quebras de texto com parágrafos curtos, bullet points e diversificação de mídias funcionam muito bem.

Estrutura visual de um texto de sucesso
Brinde pra vocês, queridos leitores: uma estrutura de texto básica, como guia de redação.

Outro ponto importante é o visual deste conteúdo. Garanta que a experiência do usuário seja positiva, com elementos visuais interessantes, design da página, estrutura atraente, de forma que ele possa se sentir em um ambiente agradável para leitura.

Além disso, é muito importante entender seu público para saber qual será o tamanho do seu texto. Em determinadas situações, a melhor forma de manter o leitor interessado no seu conteúdo é um texto mais curto, mas recheado de informações relevantes. Nada de enrolação.

No entanto, textos mais longos tendem a ser melhor otimizados para buscas no Google. Sendo assim, é preciso haver um equilíbrio, determinado pelo seu objetivo final.

10- Nunca desconsidere a revisão

Que o texto precisa ter qualidade, isso nem precisamos dizer, não é mesmo? Então, nunca desconsidere a revisão. Muito além das técnicas, os erros ortográficos no texto certamente afastarão seu leitor. Reler o seu texto servirá para corrigir erros de digitação, formatação, pontuação, concordância, entre outros.

Dica técnica: não faça a revisão imediatamente após o término da redação. Os olhos ainda estarão “viciados”, então certamente você deixará passar algum errinho. Faça uma pausa, execute outras atividades e depois volte para o seu texto.

11- Crie a CTA perfeita

Chegando quase no final da lista de dicas, nos deparamos com um dos grandes diferenciais da técnica de copywriting. Do inglês Call to Action (chamada para ação), a CTA definirá qual ação o leitor deverá executar ao ser persuadido – ou não, dependerá de você – pela sua copy. É o momento de conversão que você escolheu ao conduzir todo seu texto.

CTA Tarot
Este é um exemplo de CTA mais agressiva, que aparece tanto ao largo da copy quanto neste pop-up.

Essa chamada precisa ser bem clara, estar em total consonância com o restante do texto e ainda estar localizada em um ponto chave do texto: onde o leitor irá concluir sua vontade. Não use botões com palavras soltas, como “comprar”, “baixar” ou “cadastrar”. É importante que seja uma frase persuasiva e direta, que chame seu potencial consumidor, como “fazer download do ebook”, “assinar lista VIP” ou “cadastrar na newsletter”.

12- Crie seu estilo de copywriter

A última dica acaba sendo um compilado de todas as anteriores. Os melhores redatores e copywriters possuem seus próprios estilos de escrita. Levando isso em conta, usuários tendem a simpatizar com formatos de escrita que demonstram pessoalidade, então nada melhor que encontrar textos com uma estrutura amigável. É isto que gerará recorrência nos seus leitores.

Depois dos primeiros textos utilizando as técnicas de copywriting, você começará a construir seu próprio estilo, ou até mais de um estilo de escrita adaptado para cada objetivo.

copywriter infantil
Mesmo que você já saiba escrever, estude bastante para conseguir aplicar as técnicas de copywriting e produzir textos de “gente grande”.

Dica extra

Confira abaixo um vídeo bem completo sobre copywriting, com a palestra de André Cia, copywriter e estrategista em lançamentos de produtos digitais, no Fire Festival 2019:


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui. Copywriting é uma das nossas especialidades na produção de conteúdos!

6 ações de marketing digital no Instagram para implementar agora

instagram mobile

O Instagram se tornou indispensável para qualquer empreendimento nos dias de hoje. Seja como canal de comunicação, ou um meio de posicionar a marca dentro de um segmento, é fato que toda empresa precisa estar na plataforma. Mas então surge a dúvida: quais ações de marketing digital no Instagram são realmente eficientes?

Se você deseja maximizar seus resultados, ter mais proximidade com o público e, consequentemente, conseguir mais clientes, confira o artigo a seguir:

Que tipo de empresa deve investir em ações de marketing digital no Instagram?

Independente do segmento, tamanho, público-alvo e audiência, o marketing digital no Instagram é importante para qualquer empresa.

De acordo com o report da We Are Social e da Hootsuite, o Instagram conta com 110 milhões de usuários no Brasil, ou seja: com certeza seu público-alvo está presente na rede social.

Portanto, hoje em dia a plataforma se tornou uma das principais formas de prospecção de clientes que existem para todos os tipos de negócio.

6 ações de marketing digital no Instagram

Agora confira quais as 6 ações de marketing no Instagram essenciais para que seu negócio tenha uma presença marcante no digital:

1. Defina um objetivo para as ações de marketing digital no Instagram

Antes de começar a colocar as estratégias em prática, você precisa em primeiro lugar saber o motivo pelo qual deseja implementar essas ações.

Deseja ter mais seguidores? Mais clientes? Mais engajamento? Quando você sabe porquê deseja investir no marketing digital para Instagram, fica mais fácil saber quais as estratégias adequadas para sua marca conseguir alcançar a meta.

Afinal, a estratégia que você usa para conseguir mais engajamento não é mesma para vender um produto, ou seja, você precisa saber onde direcionar seu esforço para evitar gastos desnecessários.

2. Capriche nas hashtags

Pode não parecer, mas as hashtags são essenciais para o alcance de uma publicação e por isso você não pode deixar de usá-las nas ações de marketing digital para Instagram.

Você já deve ter percebido que o feed do Instagram geralmente não mostra as publicações por ordem cronológica. Isso acontece porque o algoritmo, a partir de diversos fatores, escolhe mostrar as publicações de acordo com os seus interesses. Um desses fatores são as hashtags.

Ou seja, usando hashtags que tenham a ver com o segmento de sua empresa, é mais provável que as publicações aparecerão para seu público-alvo,visto que eles possuem interesse no que sua marca oferece.

Faça uma pesquisa de quais hashtags são mais usadas, preste atenção para não cometer erros de digitação nelas, evite usar sempre as mesmas e coloque uma média de 10 hashtags por post. Assim, o alcance dos seus conteúdos certamente terá um aumento.

3. Preste atenção na qualidade das imagens

O Instagram é focado 100% nos elementos visuais, portanto, caprichar tanto nas fotos, quanto nos vídeos, é primordial para crescer na rede social.

Por isso, poste imagens nítidas, com atenção aos detalhes, vídeos criativos e chamativos. Isso destaca seu perfil dos concorrentes e atrai novos seguidores.

Hoje em dia você não precisa de uma câmera profissional ou um alto orçamento para produzir imagens esteticamente agradáveis, basta ter um smartphone para colocar as mãos à obra.

4. Procure sempre inovar

As pessoas passam diariamente por centenas de publicações no Instagram, muitas delas com formatos e ideias repetitivas que não se destacam. Por isso, se você deseja engajar o público de sua página, procure sempre usar a criatividade para criar conteúdos que sejam de fato interessantes ao público.

Crie enquetes nos stories, participe das trends virais do reels, faça vídeos com informações relevantes no antigo IGTV e sempre faça posts com frequência.

Não adianta ter milhares de seguidores se o que você posta não chama a atenção deles. Então tenha sempre novas ideias para fortalecer seu engajamento.

5. Interaja com o público

O ponto principal de investir em ações de marketing digital no Instagram é justamente conseguir público, então se você deseja fidelizar os seguidores de sua marca, é essencial interagir com eles.

Ao curtir, responder comentários, interagir nos stories, os seguidores saberão que por trás da empresa existem pessoas cordiais e dispostas a dar a atenção necessária caso se tornem clientes, dessa forma, além de melhorar seu engajamento você criará uma boa reputação para a marca.

6. Aposte na diversidade de formatos

O Instagram possui uma variedade de formatos de conteúdo para sua marca explorar. Isso é ótimo, pois criando conteúdos diferentes você inova e pode fazer testes de quais formatos mais agradam os seguidores.

Um feed diversificado que possui fotos, reels, IGTVs e até mesmo stories alcança mais pessoas, porque dessa maneira o Instagram distribui seu conteúdo em um maior número de formatos. Além disso, você pode mostrar que sua empresa mantém a qualidade nos mais variados tipos de conteúdo, o que fortalece sua imagem.

Para começar, aprenda como fazer um Reels com este artigo aqui.

As ações de marketing digital no Instagram melhoram seus resultados?

Como diz o famoso ditado: “quem não é visto, não é lembrado”. Isso significa que se sua empresa não tiver um bom posicionamento nas redes sociais, os clientes lembrarão apenas dos concorrentes que possuem uma estratégia melhor.

Portanto, investir em ações de marketing no Instagram é o segredo para consolidar sua marca no digital, tornar seu público mais próximo e conseguir melhores resultados!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

Como estruturar postagens reutilizando conteúdos

instagram post

Você sabia que pode revolucionar as estratégias de marketing de conteúdo reutilizando conteúdos antigos ou adaptando para outros formatos?

Reutilizando conteúdos, você aproveita assuntos relevantes em vários formatos e com isso atinge novos públicos apenas mudando um layout ou plataforma onde o conteúdo foi postado. 

A reutilização de um conteúdo é ótimo para utilizar uma pesquisa já realizada para produzir novos materiais com o mesmo tema – o que facilita o trabalho no marketing de conteúdo e amplia a presença de sua empresa no digital.

Um processo de reutilização impacta positivamente no tempo e no custo de trabalho, o que permite a publicação de novos conteúdos com mais frequência, mantém o seu público mais engajado com a sua marca, além de atrair novas pessoas ao oferecer uma diversidade de formatos. Consequentemente isso melhora a sua posição em resultados orgânicos nos motores de pesquisa, como o Google.

Entenda melhor o processo de reutilização de conteúdos a seguir:

Como melhorar o marketing da sua empresa reutilizando conteúdos?

Não basta criar um conteúdo de qualidade se ele não está no formato certo que agrade o cliente. Sendo assim, a melhor estratégia é criar em vários formatos, reutilizando conteúdos com temas semelhantes.

Por exemplo: você criou um artigo muito extenso e detalhado sobre determinado assunto. Alguns leads podem gostar desse formato, mas outros têm pouco interesse. Então por que não criar um vídeo para o Instagram ou Tiktok reutilizando esse mesmo conteúdo do artigo? 

Dessa forma você oferece conteúdos valiosos, de maneira acessível a todo seu público – o que consequentemente contribui para que seu engajamento aumente ao estar presente em várias plataformas.

Os formatos que você pode explorar são:

  • Vídeos
  • eBooks
  • Whitepapers
  • Podcast
  • Infográficos
  • Blog posts
  • Apresentação
  • Redes Sociais

Estude cada um desses formatos para entender como reaproveitar os conteúdos criados para eles, entender cada um desses formatos ajuda a saber como cada conteúdo que você produz pode ser reaproveitado.

Essa estratégia de marcar presença em diversas plataformas diferentes reutilizando conteúdos é muito rentável, pois você consegue mais resultado com menos esforço, visto que não precisará despender tanto tempo pensando em novas ideias de conteúdo.

Reutilizando conteúdos: top-down e bottom-up

No marketing de conteúdo existem 2 estratégias para reutilizar conteúdo de valor: os modos top-down e bottom-up. Entenda a seguir como eles funcionam:

Top-down

Nessa estratégia, você deve primeiramente ter um conteúdo extenso e reutilizá-lo criando conteúdos menores a partir dele.

Por exemplo: um vídeo ou live pode se transformar em pequenos trechos cortados para se tornarem reels no instagram ou vídeos para feed de até 1 min. Você poderia também transformar em conteúdos escritos, como posts carrossel.

Bottom-up

Já o bottom-up é o contrário: nesse modo você deve pegar vários conteúdos simples com o mesmo tema, e transformá-los em um só.

Um bom exemplo é quando você tem vários artigos de blog sobre determinado tema. Pode ser uma boa ideia juntar todos em um ebook.

3 dicas para melhorar sua estratégia reutilizando conteúdos

O processo de reutilizar conteúdos é simples, desde que você mantenha um fluxo de produção muito bem organizado e estruturado. Vamos te ajudar nesse procedimento com 3 dicas valiosas:

  1. Antes mesmo de começar a criar um conteúdo, pense em quais outros formatos você pode aproveitar. Faça uma lista para que, dessa forma, você consiga derivar esse conteúdo quando estiver pronto.
  2. Tenha esses conteúdos reutilizados inseridos no seu calendário editorial. Assim você vai lembrar dos conteúdos a serem reaproveitados e determinar uma data para isso.
  3. Se você já tiver um volume grande de conteúdos para reutilizar, é muito importante ter uma tabela contendo assunto, link e formatos para produzir com todos eles para não acabar perdendo nada.

Siga essas dicas e, dessa maneira, consiga produzir conteúdos cada vez mais relevantes para atrair leads e conseguir novas vendas!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

6 tipos de textos para postagens

escritora

No marketing de conteúdo existem diversos tipos de textos para postagens de acordo com a estratégia de sua empresa. Apostar nessa variedade de estruturas de texto é essencial para que sua marca alcance o público desejado. Mais que isso, ajuda a validar as opções que geram resultados mais expressivos.

Será que você está explorando todos os tipos de textos para postagens corretamente? Acompanhe a explicação de cada um deles e saiba em qual contexto utilizá-los:

Tipos de textos para postagens n°1: Injuntivo

O texto injuntivo é basicamente um guia com instruções para ensinar o leitor a realizar algo. Pode ser tanto um tutorial, quanto uma receita culinária. Basta que as informações instruam o leitor.

Esse tipo de texto possui 2 tipos: instrucional e prescritivo. O instrucional tem como propósito apenas ensinar a executar a ação de maneira objetiva (receitas culinárias), enquanto o prescritivo caracteriza-se por informações inquestionáveis, que devem ser seguidas à risca (códigos de lei).

Para criar conteúdos seguindo o estilo injuntivo, um bom jeito é criar listas de passo a passo em formato de artigos para blog, carrosséis no Instagram e roteiros de vídeos no Youtube, por exemplo. Lembrando que o ideal é sempre passar as informações de forma clara e objetiva, sem muitos detalhes desnecessários ou floreios no seu texto.

2. Descritivo

Como diz o nome, o texto descritivo serve para descrever características. Ou seja, para quem tem uma empresa, esse é o tipo de texto ideal para apresentar as características de um produto ou serviço.

Nos textos descritivos você pode fazer comparações com outros produtos, mostrar vantagens, funcionalidades e diferenciais de maneira que o leitor possa compreender totalmente o motivo pelo qual precisa optar por sua empresa.

É possível dividir um artigo descritivo em objetivo e subjetivo. O texto descritivo objetivo é escrito de maneira mais prática e direta, enquanto o subjetivo é mais sentimental e com viés literário – a fim de atingir as emoções do leitor.

3. Científico

Pode parecer incomum num primeiro momento, mas o texto científico também se encaixa nos tipos de textos para postagens.

O texto científico traz consigo informações muito valiosas como estatísticas, dados de pesquisa e relatórios que você pode usar para comprovar a eficiência de seu produto ou serviço, como também mostrar a necessidade do público pelo que sua empresa oferece.

Certamente a maioria dos públicos não se interessaria por um artigo inteiramente científico, mas a solução é incluir alguns dos dados em outros tipos de texto, Dessa forma, o texto passa a ter credibilidade e ajuda na autoridade da empresa.

4. Publicitário

O famoso tipo de texto publicitário é voltado completamente à venda de um produto. Contudo, isso não significa que você deve oferecer o produto de forma direta, mas sim persuadir e convencer o possível cliente do porquê precisa do produto.

Para isso, é muito comum utilizar gatilhos mentais e outras técnicas de copywriting a fim de chamar a atenção do público. Mesmo que a pessoa não compre no momento, o objetivo da peça publicitária é fazer com que a marca faça parte do inconsciente dela e ela lembre depois.

5. Dissertativo

Um dos tipos de textos para postagens mais comuns é o dissertativo, que serve, em resumo, para expressar uma opinião sobre um assunto.

Portanto, a persuasão é o ponto principal desse tipo de texto e desenvolver recursos argumentativos para convencer o leitor é essencial. Alguns exemplos de textos dissertativos são as resenhas e os editoriais de jornal.

As duas variações de um texto dissertativo são:

  • Expositivo: tem como objetivo apenas apresentar uma ideia ou conceito mas sem necessariamente expressar a opinião de quem escreveu o texto.
  • Argumentativo: já o objetivo do texto argumentativo é mostrar a opinião do escritor por meio de um formato com introdução, desenvolvimento e conclusão.

Uma forma de usar o texto dissertativo em sua estratégia de marketing de conteúdo é postando resenhas sobre seus produtos/serviços.

Tipos de textos para postagens n°6: Narrativo

O último dos tipos de textos para postagens é o narrativo, que consiste em um conteúdo que conta uma história com personagens, locais, datas, pontos de virada, e outros elementos.

No marketing, é o famoso storytelling, que serve para conectar o consumidor à marca através de uma história com a qual ele se identifica.

Você pode aproveitar o texto narrativo para criar histórias com a persona de sua marca, expor suas dores e como sua empresa pode ajudar. Tudo isso de forma indireta e simbólica, ao contrário do texto expositivo, por exemplo.

Tipos de texto
Dica: coloque seu texto primeiro “no papel”. Depois, parta para as plataformas de publicação, seja blog, site ou redes sociais.

Pode ser que nem todos os tipos de textos para postagens acima se encaixam com o seu tipo de negócio. Em alguns segmentos, os textos expositivos e científicos com linguagens técnicas são mais eficientes para atrair determinado público; já em outros, o uso de storytelling é essencial para criar uma relação entre consumidor e marca.

Por isso, é importante sempre realizar uma pesquisa aprofundada sobre o público de sua empresa e também saber qual o contexto mais apropriado para cada estilo de texto. Desse modo será muito mais simples atrair o cliente e fidelizá-lo ao seu negócio.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

Como montar um planejamento para redes sociais

planejamento do dia

Nos últimos anos, as redes sociais tornaram-se o instrumento principal nas estratégias de marketing digital. Se antigamente eram usadas apenas com a finalidade de entretenimento, hoje em dia elas são a principal fonte de vendas de muitos pequenos negócios. Desse modo, saber montar um planejamento para redes sociais é essencial para quem possui um empreendimento.

Entretanto, muitos empreendedores ainda acreditam que não vale a pena investir em um planejamento para redes sociais porque não trazem retorno. Mas acontece que é justamente o uso desorganizado desses canais o real motivo pelo qual algumas empresas não obtêm sucesso no digital.

Por isso, vamos te mostrar como você pode montar um planejamento para redes sociais que fará sua empresa sair na frente com conteúdos relevantes e que geram resultados:

Primeiro passo de como montar um planejamento para redes sociais: definir os 4 pilares da comunicação

Para montar um planejamento para redes sociais, você precisa, antes de mais nada, ter uma estratégia de marketing bem definida. Afinal, as duas coisas estão diretamente ligadas.

Todo empreendimento tem como principal objetivo resolver as dores do cliente. E para que o cliente entenda os problemas que seu negócio pode solucionar, vai depender da forma como você comunica isso, através do marketing.

Ou seja, para montar um planejamento de redes sociais eficiente, sua estratégia de marketing primeiro deve ser pautada nos seguintes pilares: Posicionamento, Público, Objetivos e Recursos.

Entenda cada uma dessas 4 etapas:

Posicionamento

O posicionamento é como você deseja que a sua marca seja lembrada pelo consumidor. Por exemplo: se você deseja que sua hamburgueria seja conhecida como a melhor da cidade, isso deve ser ressaltado em todos os canais de comunicação.

Não sabe qual é o posicionamento de sua empresa? É possível criar um através destas 5 perguntas:

O que?Produtos e/ou serviços?
Como?De que maneira você conecta a sua solução com o seu consumidor?
Para quem?Qual o perfil do seu consumidor ideal?
Quando?Com que frequência estas vendas são feitas?
Onde?Você possui um endereço físico ou é digital?

Público

Nas redes sociais o objetivo é conectar-se com o seu público a fim de gerar confiança. E para isso, você precisa saber quem ele é.

O processo para conhecer o perfil dos clientes é dividido em duas categorias: público-alvo e persona.

O Público-alvo é um grupo de consumidores que possuem características em comum. Você descobre informações sobre gênero, idade, classe social, hábitos de consumo, entre outros, através de pesquisas e ferramentas de análise nas redes sociais.

Já a persona é um personagem feito para representar esse público-alvo. Sua empresa inclusive pode ter mais de uma persona. Essa técnica é muito útil para que você saiba exatamente a maneira correta de se comunicar com o cliente e adaptar os conteúdos de suas redes sociais de acordo com as preferências da persona.

Objetivos

Quais resultados exatamente sua empresa precisa atingir? Todos os setores de seu negócio estão seguindo a mesma direção com o propósito de alcançar esse objetivo?

Pode parecer complicado estabelecer um objetivo e alinhar as estratégias para um resultado em comum, mas com a técnica SMART o processo fica mais simples:

  • Specific (Específico): Você deve ser específico na hora de definir um objetivo, quanto mais detalhado, melhor.
  • Measurable (Mensurável): Além disso, ele deve ser mensurável, pois de nada adianta eu buscar qualquer coisa.
  • Attainnable (Atingível): E para que eu me mantenha motivado, esta ação deve estar dentro de uma possibilidade real.
  • Realistic (Realista): Não posso considerar uma revolução completa, e sim um bom avanço a partir de uma situação conhecida.
  • Time-bound (Temporal): Tudo isso deve respeitar um prazo, e um prazo não muito longo.

Avaliando esses critérios, você adequa sua estratégia de vendas com a estratégia de marketing e, posteriormente, o planejamento para redes sociais.

Recursos

Para colocar o planejamento em prática, ele precisa ser realista. Afinal, não adianta querer aplicar uma estratégia utilizada por empresas milionárias, se a sua não tem os recursos necessários para isso.

Então, sempre leve em consideração o tempo, a equipe e as finanças do seu negócio antes de criar um planejamento de marketing.

Montando o planejamento para redes sociais

Agora que você já tem um planejamento de marketing bem definido, já conhece seu público-alvo e, além disso, sabe quais objetivos deseja alcançar é hora de finalmente montar um planejamento para redes sociais:

Tenha um objetivo de comunicação nas redes sociais

Conhecendo sua persona, você precisa comunicar-se de acordo com as preferências dela.

Dessa forma, o foco das suas redes sociais deve se basear no que seu público gosta de consumir e com isso você pode atingir os objetivos que pretende, como engajamento, adquirir uma base de leads para venda, prestar suporte, tráfego para o site, etc.

Veja exemplos das redes sociais de algumas empresas:

Exemplo de postagem do Nubank.

O Nubank tem como estratégia postar conteúdos descontraídos ou informativos com o objetivo de gerar identificação com seu público-alvo e fidelizá-lo, nunca vendendo seu serviço diretamente.

Lojas Americanas tem uma abordagem de varejo.

Já o foco das Lojas Americanas, por ser uma empresa do varejo, é apenas apresentar as ofertas dos produtos a fim de redirecionar os possíveis clientes para o site ou app da loja.

Estilo divulgação + interação do Hotmart.

A Hotmart, plataforma de cursos online, constantemente promove eventos sobre marketing digital e produção de cursos online. Por isso, seu conteúdo nas redes sociais é voltado para a divulgação desses eventos que, quando a pessoa interessada se inscreve, concede seu endereço de e-mail. Assim, a Hotmart adquire uma base de leads.

Defina os canais utilizados no planejamento para redes sociais

Novamente, aqui a sua persona certamente também será um dos fatores principais a serem considerados.

Cada rede social possui recursos, formatos e linguagens diferentes entre si e por isso cumprem diferentes objetivos no seu planejamento. Alinhando suas metas ao perfil do seu público, você consegue definir quais são as redes sociais mais adequadas ao seu tipo de negócio.

Por exemplo: se você possui uma hamburgueria e deseja atrair mais clientes através das redes sociais, não faria muito sentido abrir uma conta no LinkedIn, que tem como foco gerar conexões e relações profissionais.

Agora, se a sua empresa é do segmento B2B, o LinkedIn é a rede social mais indicada para montar um planejamento de conteúdo.

Tenha um calendário editorial

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada rede social.

Para montá-lo você precisa:

  • Definir a rede social
  • Definir os dias da semana em que terão posts
  • Estabelecer o horário dos posts
  • Escolher o tipo de conteúdo

Todas as redes sociais exigem uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

Analise os resultados e faça uma gestão dos conteúdos

Mesmo que você tenha feito o calendário editorial, talvez a demanda de conteúdos seja muito para que uma pessoa poste manualmente nas redes sociais.

Desse modo, existem várias plataformas de agendamento de posts, onde é possível definir a data, o horário, descrições, imagens e vídeos do post e ele será adicionado automaticamente à sua conta.

O Mlabs e o próprio Estúdio de Criação do Facebook apresentam essa funcionalidade.

Essas plataformas geralmente apresentam também as métricas das suas redes sociais, definindo os melhores dias e horários, quais posts tiveram bons e péssimos resultados bem como o tipo de conteúdo que gera mais engajamento do seu público.

Monitorar esses dados são essenciais para montar um planejamento de redes sociais, pois através deles você saberá o que está dando certo ou não em sua estratégia.

Reutilize conteúdos que já possui na hora de montar um planejamento para redes sociais

Hoje em dia muitas empresas utilizam no marketing digital a estratégia chamada derivação de conteúdo, que é, basicamente, reaproveitar conteúdos que você já produziu.

Sua empresa fez uma live com um conteúdo relevante e que pode converter? Corte os trechos principais dela, edite e poste novamente como pequenos vídeos de IGTV, Facebook ou até mesmo TikTok.

Antes de traçar o planejamento para redes sociais, a página de sua empresa teve posts que geraram um bom engajamento? Refaça a arte, edite novamente o vídeo, poste a mesma legenda ou inspire-se nesses posts para criar novos. Se deu certo na primeira vez, provavelmente o sucesso se repetirá.

Montar um planejamento para redes sociais de uma empresa demanda muito estudo, tempo e conhecimento em estratégia. E por isso você pode realizar esse serviço em conjunto com uma Agência de Marketing parceira, como a Gama!