6 AÇÕES DE MARKETING DIGITAL NO INSTAGRAM PARA IMPLEMENTAR AGORA

marketing digital no instagram

O Instagram se tornou indispensável para qualquer empreendimento nos dias de hoje. Seja como canal de comunicação, ou um meio de posicionar a marca dentro de um segmento, é fato que toda empresa precisa estar na plataforma. Mas então surge a dúvida: quais ações de marketing digital no Instagram são realmente eficientes?

Se você deseja maximizar seus resultados, ter mais proximidade com o público e, consequentemente, conseguir mais clientes, confira o artigo a seguir:

Que tipo de empresa deve investir em ações de marketing digital no Instagram?

Independente do segmento, tamanho, público-alvo e audiência, o marketing digital no Instagram é importante para qualquer empresa.

De acordo com o report da We Are Social e da Hootsuite, o Instagram conta com 110 milhões de usuários no Brasil, ou seja: com certeza seu público-alvo está presente na rede social.

Portanto, hoje em dia a plataforma se tornou uma das principais formas de prospecção de clientes que existem para todos os tipos de negócio.

6 ações de marketing digital no Instagram

Agora confira quais as 6 ações de marketing no Instagram essenciais para que seu negócio tenha uma presença marcante no digital:

1. Defina um objetivo para as ações de marketing digital no Instagram

Antes de começar a colocar as estratégias em prática, você precisa em primeiro lugar saber o motivo pelo qual deseja implementar essas ações.

Deseja ter mais seguidores? Mais clientes? Mais engajamento? Quando você sabe porquê deseja investir no marketing digital para Instagram, fica mais fácil saber quais as estratégias adequadas para sua marca conseguir alcançar a meta.

Afinal, a estratégia que você usa para conseguir mais engajamento não é mesma para vender um produto, ou seja, você precisa saber onde direcionar seu esforço para evitar gastos desnecessários.

2. Capriche nas hashtags

Pode não parecer, mas as hashtags são essenciais para o alcance de uma publicação e por isso você não pode deixar de usá-las nas ações de marketing digital para Instagram.

Você já deve ter percebido que o feed do Instagram geralmente não mostra as publicações por ordem cronológica. Isso acontece porque o algoritmo, a partir de diversos fatores, escolhe mostrar as publicações de acordo com os seus interesses. Um desses fatores são as hashtags.

Ou seja, usando hashtags que tenham a ver com o segmento de sua empresa, é mais provável que as publicações aparecerão para seu público-alvo,visto que eles possuem interesse no que sua marca oferece.

Faça uma pesquisa de quais hashtags são mais usadas, preste atenção para não cometer erros de digitação nelas, evite usar sempre as mesmas e coloque uma média de 10 hashtags por post. Assim, o alcance dos seus conteúdos certamente terá um aumento.

3. Preste atenção na qualidade das imagens

O Instagram é focado 100% nos elementos visuais, portanto, caprichar tanto nas fotos, quanto nos vídeos, é primordial para crescer na rede social.

Por isso, poste imagens nítidas, com atenção aos detalhes, vídeos criativos e chamativos. Isso destaca seu perfil dos concorrentes e atrai novos seguidores.

Hoje em dia você não precisa de uma câmera profissional ou um alto orçamento para produzir imagens esteticamente agradáveis, basta ter um smartphone para colocar as mãos à obra.

4. Procure sempre inovar

As pessoas passam diariamente por centenas de publicações no Instagram, muitas delas com formatos e ideias repetitivas que não se destacam. Por isso, se você deseja engajar o público de sua página, procure sempre usar a criatividade para criar conteúdos que sejam de fato interessantes ao público.

Crie enquetes nos stories, participe das trends virais do reels, faça vídeos com informações relevantes no antigo IGTV e sempre faça posts com frequência.

Não adianta ter milhares de seguidores se o que você posta não chama a atenção deles. Então tenha sempre novas ideias para fortalecer seu engajamento.

5. Interaja com o público

O ponto principal de investir em ações de marketing digital no Instagram é justamente conseguir público, então se você deseja fidelizar os seguidores de sua marca, é essencial interagir com eles.

Ao curtir, responder comentários, interagir nos stories, os seguidores saberão que por trás da empresa existem pessoas cordiais e dispostas a dar a atenção necessária caso se tornem clientes, dessa forma, além de melhorar seu engajamento você criará uma boa reputação para a marca.

6. Aposte na diversidade de formatos

O Instagram possui uma variedade de formatos de conteúdo para sua marca explorar. Isso é ótimo, pois criando conteúdos diferentes você inova e pode fazer testes de quais formatos mais agradam os seguidores.

Um feed diversificado que possui fotos, reels, IGTVs e até mesmo stories alcança mais pessoas, porque dessa maneira o Instagram distribui seu conteúdo em um maior número de formatos. Além disso, você pode mostrar que sua empresa mantém a qualidade nos mais variados tipos de conteúdo, o que fortalece sua imagem.

Para começar, aprenda como fazer um Reels com este artigo aqui.

As ações de marketing digital no Instagram melhoram seus resultados?

Como diz o famoso ditado: “quem não é visto, não é lembrado”. Isso significa que se sua empresa não tiver um bom posicionamento nas redes sociais, os clientes lembrarão apenas dos concorrentes que possuem uma estratégia melhor.

Portanto, investir em ações de marketing no Instagram é o segredo para consolidar sua marca no digital, tornar seu público mais próximo e conseguir melhores resultados!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

COMO ESTRUTURAR POSTAGENS REUTILIZANDO CONTEÚDOS

reutilizando

Você sabia que pode revolucionar as estratégias de marketing de conteúdo reutilizando conteúdos antigos ou adaptando para outros formatos?

Reutilizando conteúdos, você aproveita assuntos relevantes em vários formatos e com isso atinge novos públicos apenas mudando um layout ou plataforma onde o conteúdo foi postado. 

A reutilização de um conteúdo é ótimo para utilizar uma pesquisa já realizada para produzir novos materiais com o mesmo tema – o que facilita o trabalho no marketing de conteúdo e amplia a presença de sua empresa no digital.

Um processo de reutilização impacta positivamente no tempo e no custo de trabalho, o que permite a publicação de novos conteúdos com mais frequência, mantém o seu público mais engajado com a sua marca, além de atrair novas pessoas ao oferecer uma diversidade de formatos. Consequentemente isso melhora a sua posição em resultados orgânicos nos motores de pesquisa, como o Google.

Entenda melhor o processo de reutilização de conteúdos a seguir:

Como melhorar o marketing da sua empresa reutilizando conteúdos?

Não basta criar um conteúdo de qualidade se ele não está no formato certo que agrade o cliente. Sendo assim, a melhor estratégia é criar em vários formatos, reutilizando conteúdos com temas semelhantes.

Por exemplo: você criou um artigo muito extenso e detalhado sobre determinado assunto. Alguns leads podem gostar desse formato, mas outros têm pouco interesse. Então por que não criar um vídeo para IGTV reutilizando esse mesmo conteúdo do artigo? 

Dessa forma você oferece conteúdos valiosos, de maneira acessível a todo seu público – o que consequentemente contribui para que seu engajamento aumente ao estar presente em várias plataformas.

Os formatos que você pode explorar são:

Estude cada um desses formatos para entender como reaproveitar os conteúdos criados para eles, entender cada um desses formatos ajuda a saber como cada conteúdo que você produz pode ser reaproveitado.

Essa estratégia de marcar presença em diversas plataformas diferentes reutilizando conteúdos é muito rentável, pois você consegue mais resultado com menos esforço, visto que não precisará despender tanto tempo pensando em novas ideias de conteúdo.

Reutilizando conteúdos: top-down e bottom-up

No marketing de conteúdo existem 2 estratégias para reutilizar conteúdo de valor: os modos top-down e bottom-up. Entenda a seguir como eles funcionam:

Top-down

Nessa estratégia, você deve primeiramente ter um conteúdo extenso e reutilizá-lo criando conteúdos menores a partir dele.

Por exemplo: um vídeo ou live pode se transformar em pequenos trechos cortados para se tornarem reels no instagram ou vídeos para feed de até 1 min. Você poderia também transformar em conteúdos escritos, como posts carrossel.

Bottom-up

Já o bottom-up é o contrário: nesse modo você deve pegar vários conteúdos simples com o mesmo tema, e transformá-los em um só.

Um bom exemplo é quando você tem vários artigos de blog sobre determinado tema. Pode ser uma boa ideia juntar todos em um ebook.

3 dicas para melhorar sua estratégia reutilizando conteúdos

O processo de reutilizar conteúdos é simples, desde que você mantenha um fluxo de produção muito bem organizado e estruturado. Vamos te ajudar nesse procedimento com 3 dicas valiosas:

  1. Antes mesmo de começar a criar um conteúdo, pense em quais outros formatos você pode aproveitar. Faça uma lista para que, dessa forma, você consiga derivar esse conteúdo quando estiver pronto.
  2. Tenha esses conteúdos reutilizados inseridos no seu calendário editorial. Assim você vai lembrar dos conteúdos a serem reaproveitados e determinar uma data para isso.
  3. Se você já tiver um volume grande de conteúdos para reutilizar, é muito importante ter uma tabela contendo assunto, link e formatos para produzir com todos eles para não acabar perdendo nada.

Siga essas dicas e, dessa maneira, consiga produzir conteúdos cada vez mais relevantes para atrair leads e conseguir novas vendas!


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

MODELO FREEMIUM: JÁ CONHECE ESSA ESTRATÉGIA?

freemium-entenda-esse-modelo-de-negocio

O modelo Freemium é uma estratégia de negócio muito utilizada por várias empresas atualmente. Trata-se do oferecimento de um serviço totalmente gratuito mas com certas limitações, que podem ser supridas a partir do momento em que o cliente compra a versão paga, que disponibiliza recursos extras e mais desenvolvidos.

Com a explosão de serviços no meio digital e cada vez mais empresas surgindo nos mais variados segmentos, é muito importante se atualizar sobre o mercado e adotar novas estratégias para satisfazer o cliente, fidelizá-lo e, por fim, não perder para a concorrência.

Por isso, vamos te mostrar mais detalhes sobre o modelo Freemium e como você pode aderir essa estratégia para sua empresa:

Como funciona o modelo Freemium?

O princípio do modelo freemium é oferecer um produto ou serviço que supra as dores do cliente de maneira totalmente gratuita.

Contudo, o plano gratuito não oferece todos os benefícios do serviço, e a partir do momento em que o cliente sentir a necessidade de obter a experiência completa, poderá assinar um plano pago com todas as funcionalidades liberadas.

O objetivo da estratégia de negócio freemium é conquistar os clientes a longo prazo. Ou seja, ele utilizará o serviço gratuitamente, conhecerá tudo o que pode oferecer, porém, para ter acesso a todos os recursos, precisará assinar o plano pago.

Você pode estar imaginando que o freemium seria como uma amostra grátis, não é mesmo? Mas existem muitas diferenças entre as duas modalidades:

O propósito do freemium é oferecer uma experiência que agrade o cliente a ponto dele por si só perceber o valor do produto e enfim assinar o plano pago espontaneamente.

Outra diferença é que as amostras têm um prazo de duração. Já no modelo freemium, o usuário que não deseja pagar continua a utilizar o produto ou serviço sempre que quiser, porém, com suas limitações.

Vantagens de adotar o modelo Freemium

Em resumo, a maior vantagem do Freemium é fidelizar clientes a partir de uma experiência de qualidade para o usuário e com isso aumentar o alcance e reconhecimento da sua marca.

De início, pode parecer que não vale a pena pagar por um serviço que disponibiliza uma versão gratuita, entretanto, conforme o usuário torna a utilização do serviço um hábito, ele certamente vai sentir necessidade em adquirir os recursos extras exclusivos na versão paga em algum momento.

Sendo assim, esses usuários gratuitos são como uma espécie de leads, que podem virar clientes

Ou seja, de maneira geral, as vantagens do Freemium são:

  • Aumentar o alcance da marca
  • Adquirir leads
  • Criar um bom relacionamento com o cliente
  • Causar uma experiência de qualidade para que o usuário compre o serviço

Exemplos de negócios que utilizam o modelo Freemium

Spotify

O Spotify é um dos negócios mais famosos que possuem o modelo Freemium e obtêm ótimos resultados.

Spotify é um excelente exemplo de modelo freemium
O serviço é gratuito. Mas quem consegue aproveitar ao máximo o Spotify num plano free?

O streaming de música permite ouvir artistas, músicas e álbuns, bem como criar playlists ilimitadas tanto para usuários gratuitos quanto pagos.

A diferença é que os usuários gratuitos são interrompidos frequentemente por anúncios no intervalo de uma música para outra, enquanto quem opta pela assinatura paga pode ouvir sem interrupções além de poder baixar as músicas para ouvi-las offline.

Segundo dados divulgados pela empresa, no primeiro trimestre de 2021 a receita vinda de assinaturas cresceu 14% na comparação ano a ano e chegou a 1,9 bilhão de euros. Isso significa que mesmo disponibilizando a versão gratuita, o número de assinaturas pagas só aumenta.

MailChimp

O MailChimp é uma das maiores plataformas de disparo de e-mail marketing do mundo. Esse sucesso se deve ao fato de oferecer diversas funcionalidades grátis que cumprem as necessidades de pequenos empreendedores.

Modelo freemium clássico com Mailchimp
Uma das melhores opções de mail marketing gratuitas. Ou pago!

O modelo freemium do MailChimp concede acessos a todos os recursos gerais na versão gratuita, contudo, possui a limitação de 2.000 leads cadastrados e envio de até 12.000 e-mails por mês.

Se você deseja – ou necessita – ultrapassar esses limites, precisa assinar a conta premium.

Dropbox

O Dropbox, serviço de armazenamento e compartilhamento de arquivos na nuvem, é outro que possui o modelo Freemium.

Armazenamento gratuito? Com Dropbox, só freemium mesmo
Armazenamento grande não tem como ser gratuito. E é aí que o Dropbox entra.

Todos os usuários podem salvar, acessar e compartilhar arquivos em qualquer lugar. Porém, a versão gratuita oferece apenas 2 GB de armazenamento.

Quem necessita de um espaço de armazenamento maior pode optar pelos planos pagos específicos para pessoas físicas e jurídicas.

Canva

O Canva é uma ferramenta de design gráfico com templates prontos e personalizáveis de diversas peças visuais.

Templates para todos os formatos, sites, modelos e necessidades.

A versão gratuita do Canva tem modelos um pouco mais limitados e sua equipe de colaboração pode ter até 10 membros.  Além disso, certas imagens, elementos e fontes só estão disponíveis na versão paga.

Já a conta Pro, permite a criação de equipes com 30 membros, além de acesso a cerca de 75 milhões de imagens, gráficos animados, arquivos de áudio e vídeo.  Outras funcionalidades são o upload de fontes personalizadas, paletas de cores e a possibilidade de salvar modelos.


Assim como essas grandes empresas do mercado atingiram o sucesso com o modelo Freemium, você também pode adotar a estratégia em seu negócio. Os centros de reparação automotiva, por exemplo, geralmente oferecem uma inspeção veicular gratuita para chamar a atenção do cliente nos períodos de férias, quando ele mais procura esse tipo de serviço.

Outras empresas, sejam elas tradicionais, negócios locais, startups ou mesmo multinacionais digitais, também podem aderir ao modelo freemium de oferta. Basta saber adaptar a estratégia ao seu segmento e começar a conquistar novos clientes!

Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

6 TIPOS DE TEXTOS PARA POSTAGENS

redação

No marketing de conteúdo existem diversos tipos de textos para postagens de acordo com a estratégia de sua empresa. Apostar nessa variedade de estruturas de texto é essencial para que sua marca alcance o público desejado. Mais que isso, ajuda a validar as opções que geram resultados mais expressivos.

Será que você está explorando todos os tipos de textos para postagens corretamente? Acompanhe a explicação de cada um deles e saiba em qual contexto utilizá-los:

Tipos de textos para postagens n°1: Injuntivo

O texto injuntivo é basicamente um guia com instruções para ensinar o leitor a realizar algo. Pode ser tanto um tutorial, quanto uma receita culinária. Basta que as informações instruam o leitor.

Esse tipo de texto possui 2 tipos: instrucional e prescritivo. O instrucional tem como propósito apenas ensinar a executar a ação de maneira objetiva (receitas culinárias), enquanto o prescritivo caracteriza-se por informações inquestionáveis, que devem ser seguidas à risca (códigos de lei).

Para criar conteúdos seguindo o estilo injuntivo, um bom jeito é criar listas de passo a passo em formato de artigos para blog, carrosséis no Instagram e roteiros de vídeos no Youtube, por exemplo. Lembrando que o ideal é sempre passar as informações de forma clara e objetiva, sem muitos detalhes desnecessários ou floreios no seu texto.

2. Descritivo

Como diz o nome, o texto descritivo serve para descrever características. Ou seja, para quem tem uma empresa, esse é o tipo de texto ideal para apresentar as características de um produto ou serviço.

Nos textos descritivos você pode fazer comparações com outros produtos, mostrar vantagens, funcionalidades e diferenciais de maneira que o leitor possa compreender totalmente o motivo pelo qual precisa optar por sua empresa.

É possível dividir um artigo descritivo em objetivo e subjetivo. O texto descritivo objetivo é escrito de maneira mais prática e direta, enquanto o subjetivo é mais sentimental e com viés literário – a fim de atingir as emoções do leitor.

3. Científico

Pode parecer incomum num primeiro momento, mas o texto científico também se encaixa nos tipos de textos para postagens.

O texto científico traz consigo informações muito valiosas como estatísticas, dados de pesquisa e relatórios que você pode usar para comprovar a eficiência de seu produto ou serviço, como também mostrar a necessidade do público pelo que sua empresa oferece.

Certamente a maioria dos públicos não se interessaria por um artigo inteiramente científico, mas a solução é incluir alguns dos dados em outros tipos de texto, Dessa forma, o texto passa a ter credibilidade e ajuda na autoridade da empresa.

4. Publicitário

O famoso tipo de texto publicitário é voltado completamente à venda de um produto. Contudo, isso não significa que você deve oferecer o produto de forma direta, mas sim persuadir e convencer o possível cliente do porquê precisa do produto.

Para isso, é muito comum utilizar gatilhos mentais e outras técnicas de copywriting a fim de chamar a atenção do público. Mesmo que a pessoa não compre no momento, o objetivo da peça publicitária é fazer com que a marca faça parte do inconsciente dela e ela lembre depois.

5. Dissertativo

Um dos tipos de textos para postagens mais comuns é o dissertativo, que serve, em resumo, para expressar uma opinião sobre um assunto.

Portanto, a persuasão é o ponto principal desse tipo de texto e desenvolver recursos argumentativos para convencer o leitor é essencial. Alguns exemplos de textos dissertativos são as resenhas e os editoriais de jornal.

As duas variações de um texto dissertativo são:

  • Expositivo: tem como objetivo apenas apresentar uma ideia ou conceito mas sem necessariamente expressar a opinião de quem escreveu o texto.
  • Argumentativo: já o objetivo do texto argumentativo é mostrar a opinião do escritor por meio de um formato com introdução, desenvolvimento e conclusão.

Uma forma de usar o texto dissertativo em sua estratégia de marketing de conteúdo é postando resenhas sobre seus produtos/serviços.

Tipos de textos para postagens n°6: Narrativo

O último dos tipos de textos para postagens é o narrativo, que consiste em um conteúdo que conta uma história com personagens, locais, datas, pontos de virada, e outros elementos.

No marketing, é o famoso storytelling, que serve para conectar o consumidor à marca através de uma história com a qual ele se identifica.

Você pode aproveitar o texto narrativo para criar histórias com a persona de sua marca, expor suas dores e como sua empresa pode ajudar. Tudo isso de forma indireta e simbólica, ao contrário do texto expositivo, por exemplo.

Tipos de texto
Dica: coloque seu texto primeiro “no papel”. Depois, parta para as plataformas de publicação, seja blog, site ou redes sociais.

Pode ser que nem todos os tipos de textos para postagens acima se encaixam com o seu tipo de negócio. Em alguns segmentos, os textos expositivos e científicos com linguagens técnicas são mais eficientes para atrair determinado público; já em outros, o uso de storytelling é essencial para criar uma relação entre consumidor e marca.

Por isso, é importante sempre realizar uma pesquisa aprofundada sobre o público de sua empresa e também saber qual o contexto mais apropriado para cada estilo de texto. Desse modo será muito mais simples atrair o cliente e fidelizá-lo ao seu negócio.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

PIXEL DO FACEBOOK: O QUE É E PARA QUE SERVE?

pixel do facebook

O pixel do Facebook é a ferramenta perfeita para que você, pequeno empreendedor, mensure os resultados de suas campanhas de publicidade online e, dessa maneira, compreenda o que atrai seu consumidor e qual tipo de público é mais propenso a comprar seu produto ou serviço.

Com esse recurso, é possível rastrear páginas que o usuário acessou, seja seu site, blog, bem como landing pages. Os dados adquiridos desse rastreamento servem para analisar páginas mais visitadas e número de cadastros gerados pelos anúncios.

Saiba mais sobre o pixel do facebook:

Pixel do Facebook: o que é?

De forma simplificada, o pixel do Facebook é um código instalado nas páginas do seu site. Dessa forma, esse código registra todas as compras, visualizações, cadastros e envia esses dados para o seu gerenciador de anúncios.

Os dados adquiridos com o pixel do Facebook permitem monitorar conversões em um site e com isso, criar públicos segmentados para as campanhas de anúncios no Facebook.

Para que serve o Pixel do Facebook?

Pode até parecer muito complexo, mas um simples passo a passo na central de ajuda do Facebook certamente irá resolver suas primeiras dúvidas. As principais utilidades do pixel são:

  • Ter certeza de que os seus anúncios chegarão às pessoas certas. Encontre novos clientes ou pessoas que visitaram uma página específica ou realizaram uma ação desejada no seu site.
  • Gerar mais vendas. Configure o lance automático para alcançar pessoas mais propensas a realizar uma ação que você deseja, como fazer uma compra.
  • Mensurar os resultados dos seus anúncios. Entenda melhor o impacto dos seus anúncios ao mensurar o que acontece quando as pessoas os visualizaram.

Após a configuração do pixel do Facebook, ele será acionado quando algum usuário realizar uma ação no seu site. Entre as ações estão: adicionar item ao carrinho, realizar compra, assistir vídeo, acessar determinadas páginas. Essas ações ficam registradas, e você pode acessá-las no Gerenciador de Eventos do Facebook. Além disso, você também terá a opção de alcançar esses clientes novamente por meio de anúncios futuros no Facebook.

Pixel do Facebook: quem pode usar?

O pixel serve para monitorar dados de páginas fora do Facebook, por isso, não é possível instalar dentro da rede social. Ele serve para sites, páginas de captura e blogs. Cada conta de anúncios possui 1 pixel atrelado a ela

Portanto, você poderá usar o pixel do Facebook caso:

  • Tenha um site, blog e/ou páginas de captura;
  • Não tenha interesse em mensurar uma página do Facebook.

O que você pode analisar com o pixel do Facebook?

Assim que o pixel do Facebook fica ativo, ele passa a rastrear os dados. Porém, como fazer a análise das conversões? Confira a seguir os 2 tipos de conversão que você pode medir com a ferramenta:

Conversão baseada em eventos:

 As conversões personalizadas baseadas em eventos são uma opção disponível para que você estabeleça no pixel um conjunto de eventos específicos como conversões.

Por exemplo: em uma landing page, você pode instalar um pixel na página de obrigado com a conversão baseada em eventos. Sendo assim, todo lead que chegar nessa página será considerado conversão, pois para acessar a página de obrigado ele precisa ter adquirido o produto.

Esse tipo de conversão tem como utilidade criar públicos personalizados com base no acesso das páginas do site, blog, etc. Com isso, o Facebook automaticamente cria segmentações de público com um perfil semelhante ao que acessou essas páginas.

Basear-se em conversões personalizadas:

Esse tipo de conversão se baseia nas palavras-chave da URL. É a técnica ideal para medir conversões relacionadas a cadastros e compras.

Por exemplo: ao criar uma URL www.exemplo.com.br/produto/confirmacaodecompra toda vez que o cliente chegar nessa página, o pixel vai considerar essa ação como uma compra.

como configurar o pixel do Facebook

O pixel do Facebook é um recurso que certamente irá trazer ganhos reais em aumento de vendas e melhores resultados. Se você utilizar corretamente, suas campanhas de anúncios ficam mais assertivas e atingem um público cada vez mais segmentado.

Contudo, para atingir bons resultados com a ferramenta é preciso um estudo aprofundado sobre sua utilização, para que se torne cada dia mais simples aproveitar suas vantagens.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Feedbacks são ótimos e a gente adoraria colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

OS ERROS MAIS COMUNS DOS INICIANTES EM MARKETING DE CONTEÚDO

comunicação marketing digital

Se você está começando a migrar seu negócio para o digital, é muito comum não ter todo o conhecimento existente sobre estratégias, técnicas e tendências do marketing digital. Dessa maneira, cometer os erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo é algo totalmente normal.

Acesse nosso conteúdo e entenda o que é marketing de conteúdo!

Tendo em vista a dificuldade dos novos empreendedores no que diz respeito à utilização do marketing de conteúdo para suas empresas, separamos alguns erros que, embora comuns, precisam ser corrigidos para que sua empresa atinja os resultados esperados.

Confira abaixo os 6 erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo:

1° erro mais comum dos iniciantes em marketing de conteúdo: Não definir suas Personas

O marketing de conteúdo, é, sobretudo, uma forma de gerar conteúdo de valor para um determinado público. Contudo, como você poderá saber se o conteúdo que produz é relevante sem conhecer o público ideal de sua empresa?  

É importante fazer um estudo de como se comporta e quais são os interesses do seu público-alvo, e dessa forma, montar uma persona – a representação semi-fictícia do seu cliente ideal.

Para criar a persona defina os seguintes tópicos:

  • Qual a sua profissão?
  • Qual a sua idade?
  • Que tipo de conteúdo consome na internet?
  • Quais são suas dores?
  • Quais as maiores dúvidas em relação ao seu produto ou serviço?
  • Como sua empresa pode ajudar essa persona?

Com base nessas características, crie sua persona. Ela é quem determinará as estratégias de marketing de conteúdo usadas por sua empresa.

Ter uma (ou mais) personas para sua empresa é essencial para definir como o seu estilo de conteúdo será estruturado, afinal, se o seu objetivo é prender a atenção do público-alvo, você deve se comunicar como ele.

2. Não ter um cronograma de conteúdos

Manter uma estratégia de marketing de conteúdo efetiva exige planejamento prévio.

As pautas para blog e redes sociais precisam estar de acordo com cada fase do funil de vendas e além disso, desenvolver os conteúdos com qualidade levam um certo tempo.

Sendo assim, não ter um calendário mensal com todos os conteúdos produzidos para cada canal de comunicação é um erro gravíssimo, pois é a partir dele que você irá definir um tema específico para cada momento da jornada de compra do cliente.

Portanto, todo mês crie um calendário com o tema do conteúdo, fase do funil, palavra-chave, data e onde será postado. Assim, sua equipe terá como planejar tempo para produção e o conteúdo ficará melhor segmentado.

3. Não Monitorar Palavras Chave

Tanto para o marketing de conteúdo quanto para o tráfego pago, as palavras-chave são essenciais para alcançar o seu público-alvo. Através delas seus conteúdos os mecanismos de busca encontrarão seus conteúdos.

Se sua empresa não faz uma pesquisa de palavras-chave, esse pode ser o motivo pelo qual as estratégias não estão surtindo efeito.

Boas ferramentas de pesquisa de palavras-chave são: Google Trends, SemRush e Ubersuggest.

Outra estratégia é sempre monitorar as principais palavras-chave que seus concorrentes utilizam. No caso das redes sociais, sempre observe as hashtags mais recorrentes nos posts.

4. Não postar frequentemente

Uma das maiores armas para ter sucesso com conteúdo na internet é a consistência. Em qualquer rede, YouTube, Instagram ou Facebook, a consistência faz os algoritmos alavancarem o seu conteúdo e trazer relevância. Sendo assim, no seu site ou blog não poderia ser diferente – marketing de conteúdo exige frequência de postagens.

Portanto, mantenha a consistência em dia, pois dessa forma sua empresa terá mais chances de ser vista e atrair um futuro cliente.

O recomendável é produzir, no mínimo, duas postagens semanais de pelo menos 600 caracteres.

5. Produzir conteúdos pouco relevantes

Aqui entra um ponto muito importante: a autenticidade. Ser autêntico nos seus conteúdos é criar algo unicamente da sua empresa, é criar conteúdo que as pessoas vejam originalidade.

Ou seja: Não adianta criar só por criar. Se você encarar esse papel só como obrigação, quem perde é a sua empresa.

Então, se você está realmente disposto e acredita no diferencial do seu negócio, mostre isso para o seu futuro cliente. Seu conteúdo precisa ser autêntico e, principalmente, precisa solucionar dúvidas, ser informativo e eficaz.

6. Não Investir em novos formatos e canais

Este erro é muito comum, já que é natural permanecermos na nossa zona de conforto. Mas, você não deve se prender apenas aos tradicionais artigos de blogs ou e-books.

Temos diversas outras plataformas de conteúdo disponíveis, como o YouTube, TikTok, Instagram, Twitter. Cada um deles tem sua própria linguagem e cabe a você identificar qual se encaixa mais na sua proposta. O TikTok, por exemplo, já tomou espaço com seus vídeos curtos e bem humorados.

E não para por aí: há também os podcasts, que se tornaram tendência atualmente. Muitas pessoas consomem esse formato de conteúdo e pode ter certeza que gente para te ouvir não falta.

Bônus: erro mais comum dos iniciantes em marketing de conteúdo

Não caprichar nos conteúdos porque “dá muito trabalho”! Sim, criar conteúdo dá trabalho. Mas enquanto você não ousar e continuar produzindo materiais sem profundidade, a concorrência irá ultrapassar seu negócio. Por isso, é muito importante dedicar um certo tempo para produzir e planejar conteúdos originais que ficarão na mente do possível cliente. Existem profissionais e agências especializadas em produção de conteúdo, planejamento e criação de calendários editoriais, como a Gama.

Fazendo parceria com uma agência, você terá mais tempo para focar na prospecção e não sofrerá mais o risco de cometer os erros mais comuns dos iniciantes em marketing de conteúdo!

COMO PRODUZIR CONTEÚDO NAS REDES SOCIAIS EM 6 PASSOS

Produzindo conteúdo para redes sociais

Produzir conteúdo nas redes sociais se tornou a estratégia primordial para conquistar clientes e realizar vendas com o marketing digital. Entretanto, com a explosão dos negócios digitais no mundo durante a pandemia, a concorrência disparou e como consequência disso, veio a necessidade de se manter em destaque.

Mas como produzir conteúdo nas redes sociais que seja relevante e realmente engaje o público? Acompanhe a seguir nosso passo a passo para produzir conteúdo nas redes sociais e faça sua empresa sair na frente da concorrência:

1 – Planejamento para produzir conteúdo nas redes sociais

Para montar um planejamento de redes sociais, você precisa, antes de mais nada, ter uma estratégia de marketing bem definida. Afinal, as duas coisas estão diretamente ligadas.

Esse planejamento de marketing se dá por 4 etapas:

  • Posicionamento
  • Público
  • Objetivos
  • Recursos

Determine bem esses tópicos, para que sua marca se comunique de acordo com a estratégia.

Ou seja, o conteúdo nas redes sociais deve se basear no que seu público gosta de consumir e, com isso, você pode atingir os objetivos que deseja, como: engajamento, adquirir uma base de leads para venda, prestar suporte, tráfego para o site, etc. Tudo isso utilizando com os recursos que possui.

Além desses 4 pilares, há duas perguntas  que você precisa se fazer para definir a linha editorial que suas redes sociais vão seguir:

  • Quais resultados pretende alcançar ao produzir conteúdo nas redes sociais?
  • Como a presença da minha marca em uma determinada rede social irá contribuir com os objetivos de marketing?  

Com todas as questões acima bem definidas, podemos partir para o próximo passo:

2 – Defina quais serão as redes sociais usadas

Para este passo, é fundamental ter uma persona bem definida,

Cada rede social possui recursos, formatos e linguagens diferentes entre si e por isso cada uma delas exige formas distintas para produzir conteúdo. Alinhando suas metas ao perfil do seu público, você consegue definir quais são as redes sociais mais adequadas ao seu tipo de negócio.

Pesquise quais as redes sociais mais utilizadas por sua persona e foque seu conteúdo nelas.

Por exemplo: se o seu público tiver um perfil mais jovem, estude sobre redes sociais como TikTok, Twitter e como produzir o conteúdo certo para seu tipo de segmento.

Agora, se a sua empresa é do segmento B2B, o LinkedIn é a rede social mais indicada para montar um planejamento de conteúdo.

3 – Monte um calendário para produzir conteúdos nas redes sociais

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada rede social.

Ele é essencial para organizar o fluxo de conteúdo postado nos dias, horários e canais definidos.

Todas as redes sociais exigem uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

4 – Pesquise temas interessantes para o público

Ter ideias para produzir conteúdo nas redes sociais não é tarefa fácil, principalmente quando se tenta conseguir uma inspiração do absoluto zero.

Para esses momentos, um site muito útil é o Answer The Public. Ele usa o Google Suggest  para encontrar perguntas específicas que as pessoas podem ter em relação a uma determinada área ou palavra-chave.

Answer the Public auxilia a produzir conteúdo para redes sociais
Site filtra e cruza os melhores resultados para suas palavras-chave no Google.

Ou seja: digitando uma palavra-chave específica como “maquiagem”, a ferramenta encontrará uma série de perguntas relacionadas ao tema, por exemplo: como fazer maquiagem para festa?

A partir dos resultados você terá uma infinidade de temas para explorar, afinal, são dúvidas frequentes do seu próprio público, que certamente terão interesse pelo conteúdo.

5 – Reutilize conteúdos que já possui, na hora de montar um planejamento para redes sociais

Hoje em dia muitas empresas utilizam no marketing digital a estratégia chamada derivação de conteúdo, que é, basicamente, reaproveitar conteúdos que você já produziu.

Uma live pode virar pequenos trechos de IGTVs, TikToks ou até mesmo posts em carrossel com a transcrição do conteúdo.

Você também pode fazer uma curadoria de posts antigos que tiveram um bom engajamento e repagina-los para postar novamente, com uma nova arte e/ou texto.

6 – Analise os resultados e faça uma gestão dos conteúdos

Mesmo que você tenha feito um calendário de posts, talvez a demanda de conteúdos seja muito grande para que uma pessoa poste manualmente nas redes sociais.

Desse modo, existem várias plataformas de agendamento de posts. Com elas você pode definir a data, o horário, descrições, imagens e vídeos do post.

O Mlabs e o próprio Estúdio de Criação do Facebook, por exemplo, podem fazer isso.

A vantagem dessas plataformas é a possibilidade de analisar métricas das suas redes sociais, definindo os melhores dias e horários, quais posts tiveram bons e péssimos resultados bem como o tipo de conteúdo que gera mais engajamento do seu público.

A partir desses dados, é possível acompanhar o tipo de conteúdo que funciona com o público e definir o que manter, bem como o conteúdo que deve ser reformulado.


Produzir conteúdo nas redes sociais pode parecer simples, mas é um processo extremamente trabalhoso se você tem o intuito de gerar proximidade com o cliente.Sendo assim, você pode realizar esse serviço em conjunto com uma Agência de Marketing parceira, como a Gama!

COMO MONTAR UM PLANEJAMENTO PARA REDES SOCIAIS?

calendário redes sociais

Nos últimos anos, as redes sociais tornaram-se o instrumento principal nas estratégias de marketing digital. Se antigamente eram usadas apenas com a finalidade de entretenimento, hoje em dia elas são a principal fonte de vendas de muitos pequenos negócios. Desse modo, saber montar um planejamento para redes sociais é essencial para quem possui um empreendimento.

Entretanto, muitos empreendedores ainda acreditam que não vale a pena investir em um planejamento para redes sociais porque não trazem retorno. Mas acontece que é justamente o uso desorganizado desses canais o real motivo pelo qual algumas empresas não obtêm sucesso no digital.

Por isso, vamos te mostrar como você pode montar um planejamento para redes sociais que fará sua empresa sair na frente com conteúdos relevantes e que geram resultados:

Primeiro passo de como montar um planejamento para redes sociais: definir os 4 pilares da comunicação

Para montar um planejamento para redes sociais, você precisa, antes de mais nada, ter uma estratégia de marketing bem definida. Afinal, as duas coisas estão diretamente ligadas.

Todo empreendimento tem como principal objetivo resolver as dores do cliente. E para que o cliente entenda os problemas que seu negócio pode solucionar, vai depender da forma como você comunica isso, através do marketing.

Ou seja, para montar um planejamento de redes sociais eficiente, sua estratégia de marketing primeiro deve ser pautada nos seguintes pilares: Posicionamento, Público, Objetivos e Recursos.

Entenda cada uma dessas 4 etapas:

Posicionamento

O posicionamento é como você deseja que a sua marca seja lembrada pelo consumidor. Por exemplo: se você deseja que sua hamburgueria seja conhecida como a melhor da cidade, isso deve ser ressaltado em todos os canais de comunicação.

Não sabe qual é o posicionamento de sua empresa? É possível criar um através destas 5 perguntas:

O que?Produtos e/ou serviços?
Como?De que maneira você conecta a sua solução com o seu consumidor?
Para quem?Qual o perfil do seu consumidor ideal?
Quando?Com que frequência estas vendas são feitas?
Onde?Você possui um endereço físico ou é digital?

Público

Nas redes sociais o objetivo é conectar-se com o seu público a fim de gerar confiança. E para isso, você precisa saber quem ele é.

O processo para conhecer o perfil dos clientes é dividido em duas categorias: público-alvo e persona.

O Público-alvo é um grupo de consumidores que possuem características em comum. Você descobre informações sobre gênero, idade, classe social, hábitos de consumo, entre outros, através de pesquisas e ferramentas de análise nas redes sociais.

Já a persona é um personagem feito para representar esse público-alvo. Sua empresa inclusive pode ter mais de uma persona. Essa técnica é muito útil para que você saiba exatamente a maneira correta de se comunicar com o cliente e adaptar os conteúdos de suas redes sociais de acordo com as preferências da persona.

Objetivos

Quais resultados exatamente sua empresa precisa atingir? Todos os setores de seu negócio estão seguindo a mesma direção com o propósito de alcançar esse objetivo?

Pode parecer complicado estabelecer um objetivo e alinhar as estratégias para um resultado em comum, mas com a técnica SMART o processo fica mais simples:

  • Specific (Específico): Você deve ser específico na hora de definir um objetivo, quanto mais detalhado, melhor.
  • Measurable (Mensurável): Além disso, ele deve ser mensurável, pois de nada adianta eu buscar qualquer coisa.
  • Attainnable (Atingível): E para que eu me mantenha motivado, esta ação deve estar dentro de uma possibilidade real.
  • Realistic (Realista): Não posso considerar uma revolução completa, e sim um bom avanço a partir de uma situação conhecida.
  • Time-bound (Temporal): Tudo isso deve respeitar um prazo, e um prazo não muito longo.

Avaliando esses critérios, você adequa sua estratégia de vendas com a estratégia de marketing e, posteriormente, o planejamento para redes sociais.

Recursos

Para colocar o planejamento em prática, ele precisa ser realista. Afinal, não adianta querer aplicar uma estratégia utilizada por empresas milionárias, se a sua não tem os recursos necessários para isso.

Então, sempre leve em consideração o tempo, a equipe e as finanças do seu negócio antes de criar um planejamento de marketing.

Você pode entender mais sobre planejamento de marketing com este artigo.

Montando o planejamento para redes sociais

Agora que você já tem um planejamento de marketing bem definido, já conhece seu público-alvo e, além disso, sabe quais objetivos deseja alcançar é hora de finalmente montar um planejamento para redes sociais:

Tenha um objetivo de comunicação nas redes sociais

Conhecendo sua persona, você precisa comunicar-se de acordo com as preferências dela.

Dessa forma, o foco das suas redes sociais deve se basear no que seu público gosta de consumir e com isso você pode atingir os objetivos que pretende, como engajamento, adquirir uma base de leads para venda, prestar suporte, tráfego para o site, etc.

Veja exemplos das redes sociais de algumas empresas:

Nubank: exemplo de planejamento para redes sociais
Exemplo de postagem do Nubank.

O Nubank tem como estratégia postar conteúdos descontraídos ou informativos com o objetivo de gerar identificação com seu público-alvo e fidelizá-lo, nunca vendendo seu serviço diretamente.

Lojas Amercianas: postagem focada em varejo
Lojas Americanas tem uma abordagem de varejo.

Já o foco das Lojas Americanas, por ser uma empresa do varejo, é apenas apresentar as ofertas dos produtos a fim de redirecionar os possíveis clientes para o site ou app da loja.

Divulgação + interação nas postagens do Hotmart
Estilo divulgação + interação do Hotmart.

A Hotmart, plataforma de cursos online, constantemente promove eventos sobre marketing digital e produção de cursos online. Por isso, seu conteúdo nas redes sociais é voltado para a divulgação desses eventos que, quando a pessoa interessada se inscreve, concede seu endereço de email. Assim, a Hotmart adquire uma base de leads.

Defina os canais utilizados no planejamento para redes sociais

Novamente, aqui a sua persona certamente também será um dos fatores principais a serem considerados.

Cada rede social possui recursos, formatos e linguagens diferentes entre si e por isso cumprem diferentes objetivos no seu planejamento. Alinhando suas metas ao perfil do seu público, você consegue definir quais são as redes sociais mais adequadas ao seu tipo de negócio.

Por exemplo: se você possui uma hamburgueria e deseja atrair mais clientes através das redes sociais, não faria muito sentido abrir uma conta no LinkedIn, que tem como foco gerar conexões e relações profissionais.

Agora, se a sua empresa é do segmento B2B, o LinkedIn é a rede social mais indicada para montar um planejamento de conteúdo.

Tenha um calendário editorial

O calendário editorial é uma programação dos tipos de conteúdos que serão postados em cada rede social.

Para montá-lo você precisa:

  • Definir a rede social
  • Definir os dias da semana em que terão posts
  • Estabelecer o horário dos posts
  • Escolher o tipo de conteúdo

Todas as redes sociais exigem uma determinada frequência de posts para não perder o engajamento dos seguidores. Desse modo, é bom sempre fazer testes com o seu público para ver quais os horários e dias geram mais interação.

Analise os resultados e faça uma gestão dos conteúdos

Mesmo que você tenha feito o calendário editorial, talvez a demanda de conteúdos seja muito para que uma pessoa poste manualmente nas redes sociais.

Desse modo, existem várias plataformas de agendamento de posts, onde é possível definir a data, o horário, descrições, imagens e vídeos do post e ele será adicionado automaticamente à sua conta.

O Mlabs e o próprio Estúdio de Criação do Facebook apresentam essa funcionalidade.

Essas plataformas geralmente apresentam também as métricas das suas redes sociais, definindo os melhores dias e horários, quais posts tiveram bons e péssimos resultados bem como o tipo de conteúdo que gera mais engajamento do seu público.

Monitorar esses dados são essenciais para montar um planejamento de redes sociais, pois através deles você saberá o que está dando certo ou não em sua estratégia.

Reutilize conteúdos que já possui na hora de montar um planejamento para redes sociais

Hoje em dia muitas empresas utilizam no marketing digital a estratégia chamada derivação de conteúdo, que é, basicamente, reaproveitar conteúdos que você já produziu.

Sua empresa fez uma live com um conteúdo relevante e que pode converter? Corte os trechos principais dela, edite e poste novamente como pequenos vídeos de IGTV, Facebook ou até mesmo TikTok.

Antes de traçar o planejamento para redes sociais, a página de sua empresa teve posts que geraram um bom engajamento? Refaça a arte, edite novamente o vídeo, poste a mesma legenda ou inspire-se nesses posts para criar novos. Se deu certo na primeira vez, provavelmente o sucesso se repetirá.

Montar um planejamento para redes sociais de uma empresa demanda muito estudo, tempo e conhecimento em estratégia. E por isso você pode realizar esse serviço em conjunto com uma Agência de Marketing parceira, como a Gama!

TENDÊNCIAS PARA REDES SOCIAIS EM 2021

redes sociais

É fato que as redes sociais vêm sendo o canal de comunicação principal das marcas com o público nos últimos anos. O ano de 2020 reforçou ainda mais essa relação e certamente definiu novos rumos às tendências para redes sociais em 2021, por conta da pandemia.

A crise do coronavírus provocou uma revolução no meio digital: grandes e pequenas empresas estão cada vez mais presentes nas redes sociais e os consumidores descobriram a possibilidade de fazerem compras no conforto de suas casas.

Por isso, estudar as estratégias do marketing digital com o intuito de atrair clientes para seu negócio é de extrema importância. Mas, além disso, é primordial estar atualizado sobre as tendências para redes sociais em 2021 e, dessa forma, não ficar atrás da concorrência.   

Tendências para redes sociais em 2021: comportamento

A Hootsuit, uma plataforma de gestão de mídias sociais, realizou no fim de 2020 uma pesquisa com cerca de 11 mil profissionais do marketing a respeito das tendências para redes sociais em 2021 sobre comportamentos que seu negócio deve aderir. A pesquisa completa você confere neste artigo. Vamos destacar os principais tópicos:

O ROI de 2021

ROI é a sigla em inglês para Retorno Sobre o Investimento. É a métrica que indica o resultado final de cada ação ou campanha.

Ou seja, com o ROI você pode analisar as estratégias que funcionaram e devem ser mantidas, e as que não funcionaram e devem ser substituídas.

Em 2020, o ROI mais importante para as empresas, foi a obtenção de um novo público. Já para 2021, de acordo com os entrevistados, a missão é manter e converter os consumidores atraídos no ano anterior.

Para isso, sua empresa deve focar 100% na experiência do cliente. Produzir conteúdo e apostar em novas plataformas são métodos infalíveis para atingir esse objetivo.

O TikTok, como veremos adiante, tem sido uma das plataformas mais populares para criação de conteúdo original. As lives no Instagram também continuam recorrentes: existem empresas que utilizam as transmissões para divulgarem seus produtos e obtém um ótimo retorno em vendas, como o caso da marca Tommy Hilfiger, citado no artigo da Hootsuit.

lives são tendências para redes sociais em 2021

Análise estratégica de dados

A análise de dados e métricas promove uma conexão extremamente importante entre sua empresa e o público, tendo em vista que nem toda interação orgânica resulta em novos clientes.

Com uma análise aprofundada de dados, é possível determinar se as interações do público com as redes sociais de seu negócio estão, de fato, gerando um retorno financeiro e a fidelização dos clientes.

Para isso, estude, por exemplo, o rastreamento de todos os resultados de campanhas, orgânicas ou pagas, feitas nas redes sociais. Somente dessa forma será possível entender a relação entre os padrões de comportamento de compra de seus clientes e o engajamento nas redes sociais.

Propósitos sociais

É visível que atualmente, os consumidores têm mais consciência acerca do impacto socioambiental dos produtos e marcas que consomem. Segundo o estudo, 60% dos jovens buscam comprar de empresas que demonstram preocupação com seus funcionários, sobretudo durante a pandemia.

E não basta apenas postar mensagens positivas nas redes sociais. A tendência para 2021 é partir para a ação e mostrar de forma sincera como sua marca impacta o mundo positivamente.

Redes sociais: tendências para 2021

Agora, confira quais as tendências para 2021 de plataformas que sua empresa precisa estar incluída.

Instagam

Em primeiro lugar está o Instagram, pelo fato de já ser uma rede social extremamente popular. O aplicativo está em evidência, com a aposta de 96% dos investimentos por parte das empresas.

Isso porque em 2020 tivemos o lançamento de diversas ferramentas para criação de conteúdo como o Reels, a fim de competir com o TikTok; bem como recursos para compra de produtos diretamente no aplicativo – o Instagram shopping.

Em seguida, temos o WhatsApp, com 88% das apostas. Isso por causa de seu sucesso com o WhatsApp Business, a versão para pequenas empresas do app.

Em terceiro lugar, fica o Facebook, com 83%. Apesar de estar perdendo a popularidade, a rede social ainda conta com ferramentas fundamentais para criação de anúncios, por exemplo.

TikTok e Spotify

Agora, os aplicativos que são tendência para criação de conteúdo. Em primeiro lugar temos duas plataformas: TikTok e Spotify, com 28%.

TikTok: tendência para 2021

O TikTok viralizou em 2020, tornando-se o aplicativo mais baixado do mundo durante meses.

Além de ser muito utilizado por jovens, diversas marca já estão presentes na plataforma com o intuito de produzir conteúdos dinâmicos e originais, e assim, conquistar o público.

Já o Spotify ocupa o topo do pódio por conta da popularização dos Podcasts. O uso cada vez mais caseiro do app fez com que a popularização dos podcasts estourassem, com conteúdos como entrevistas, análises, estudos e programas específicos de comunicadores consagrados.

Telegram

O Telegram fica em 2º lugar, com 22%. Ele é um aplicativo de mensagens, como o WhatsApp. Mas ao contrário de seu concorrente, lá você pode montar grupos e canais sobre os mais variados assuntos e com um limite muito maior de integrantes, além de outras funcionalidades, como bots.

Utilizando o Telegram
O Telegram é um dos aplicativos de conversa com mais funcionalidades corporativas. Explore para grupos de estudo e conteúdos exclusivos.

Grupos e comunidades

Em terceiro lugar, temos as Comunidades. Grupos que unem pessoas e as mantém engajadas. 

As comunidades não exigem uma rede social exclusiva, você pode criá-las a partir da plataforma que acredita ser a mais popular entre seu público-alvo. O importante é gerar conexão e fidelização dos clientes com sua empresa.

Facebook's latest makeover shines spotlight on groups - CNET
Participe ativamente de grupos e comunidades, para encontrar seu nicho e divulgar seu negócio.

O foco das tendências para redes sociais em 2021 é o acolhimento do consumidor pelas marcas. Focar na experiência do cliente e tratá-lo como único, não somente como um lead, sem dúvidas é a melhor estratégia para fidelizá-lo.


Gostou do nosso conteúdo? Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos aqui! Adoramos feedbacks e também gostaríamos de colaborar ainda mais com você. Escreva para o Fernando Potrick, nosso head de conteúdo: potrick@gama.etc.br.

REDES SOCIAIS: O CANAL INDISPENSÁVEL

Não tem mais volta: a internet já está definitivamente enraizada na sociedade atual. Não há mais como imaginar um mundo onde você não pode ir ao google pesquisar sobre uma dúvida, conversar com quem você quiser ao redor do mundo ou mesmo fazer uma simples compra sem sair de casa. As mídias e redes sociais, dentro deste contexto, surgiram para aproximar pessoas, reatar amizades, descobrir novos relacionamentos… e também para revolucionar o mundo dos negócios. Sim, isso mesmo! No post de hoje vamos falar sobre este recurso importante dentro do seu planejamento de marketing digital.

” Atualmente, para se conectar com pessoas, você precisa parar de tentar empurrar seu produto ou serviço e começar a mostrar a transformação que seu produto ou serviço gera.”
Mychel Keppler

Hoje em dia, somos mais de 2.375.000.000 usuários ativos nas redes sociais. Somos? Sim, se você chegou até esse texto, é porque certamente você ou sua empresa tem um perfil em alguma rede social. Com algumas ressalvas, o universo digital é um reflexo da nossa sociedade, então as empresas necessariamente se condicionam a fazer parte deste universo, potencializando suas vendas ou aumentando seu reconhecimento como marca.

As redes sociais são um potente canal de venda e parte fundamental do marketing digital. Como fazer isso? Vamos lá!

Rede Social ou Mídia Social?

Começando pelo começo (!?) você precisa entender o que é uma rede social. O conceito não é novo, vem de muitos anos atrás, quando as interações entre indivíduos, grupos e organizações compunham diferentes redes sociais. Na internet, redes sociais são sites e aplicativos que oferecem o compartilhamento de informações entre pessoas e empresas.

O objetivo das redes sociais é essencialmente conectar pessoas. Já a mídia social é mais abrangente, pois contempla vídeos, blogs e as já mencionadas redes sociais. Ou seja, mídias sociais são os ambientes que permitem interação entre indivíduos. Rede social é um meio para que isso aconteça.

Qual rede social se adéqua ao seu negócio?

Existem diversos tipos de redes sociais, que se dividem em segmentos como relacionamento, entretenimento, profissional e nicho. Cada um tem sua particularidade. Claro que depende de cada negócio, mas de maneira geral, o mais indicado é que sua empresa explore mais a rede social onde está a maior parte do seu público alvo.

As principais redes sociais são:

Facebook | O Facebook é a maior rede social do mundo. Nenhuma outra na história da internet conseguiu juntar tudo que seu usuário precisa, de forma tão fácil de se compreender. Ela oferece textos, fotos, vídeos, grupos de discussão, perfis, páginas, anúncios diversos, catálogos, e muito mais. Além de tudo isso, ainda gerencia outras redes sociais, como o Instagram, por exemplo.

Instagram | A rede social que mais cresce no mundo começou como uma rede de relacionamento focada em compartilhamento de fotos. Como o foco segue sendo o conteúdo visual, ele é uma ferramenta muito potente a ser explorada por empresas e indivíduos. Mais ainda se considerarmos todas as funcionalidades que vem sendo implementadas para qualificar os anúncios.

LinkedIn | Rede social focada essencialmente na parte profissional, o LinkedIn é parte fundamental para empresas e profissionais. Vem se tornando cada vez mais utilizada, e por isso não para de se atualizar para melhor atender seus usuários. Além de ser o ambiente ideal para conexões profissionais, ainda é utilizado como plataforma de recrutamento, portfólio de negócios e vitrine para o seu currículo, sem contar nas novas funcionalidades de anúncios pagos.

Youtube | Dispensa apresentações, né? A maior plataforma de compartilhamento de vídeos está cada vez mais completa, oferecendo novas ferramentas e garantindo que o usuário transmita conteúdos mais qualificados. Seus conteúdos audiovisuais, diferenciados e prontos para monetização são estratégias importantes dentro do planejamento de marketing digital das empresas. Não à toa, é hoje o meio que originou uma nova profissão: youtuber!

Como aplicar o marketing digital nas redes sociais

Pontos diferenciais

Visibilidade | Como já falamos, praticamente todo mundo está em alguma rede social, portanto o seu cliente ou público alvo certamente está lá também. Para que sua marca seja reconhecida, ela precisa ser vista. Se a sua empresa quer investir em marketing digital, precisa fazer com que os usuários reconheçam uma marca.

Engajamento | Além de fazer com que sua empresa seja vista, é imprescindível que o conteúdo que sua empresa compartilha seja relevante. Clientes engajados são a melhor forma de garantir vendas recorrentes.

Tráfego | Redes sociais são canais importantes para se chegar ao seu público alvo. E é a partir delas, com conteúdos interessantes e vantagens exclusivas que você vai conseguir fazer com que seguidores se tornem clientes: levando-os para o seu site. (Para saber mais sobre como funciona o tráfego no seu negócio digital, confira o nosso post AQUI)

Estratégias básicas

Existem diversas maneiras de se explorar as redes sociais, as mídias sociais, e de se produzir conteúdos que sejam importantes estratégias de Marketing Digital. Segundo o especialista Neil Patel, no entanto, existem três maneiras básicas de se fazer marketing digital nas redes sociais:

Gestão de comunidade | Você deve se dedicar a engajar o cliente com o seu negócio. Para isso, é imprescindível que você também esteja engajado. Explore suas redes sociais como se estivesse recebendo este cliente na sua empresa: ajudando a resolver problemas, explorando o pós-venda, interagindo de forma verdadeira com o seguidor.

Criação de Conteúdo | Este é um ponto fundamental. Não use a rede social somente como um canal de venda. Entenda que o propósito dela é justamente a interação entre indivíduos, e que seu cliente está ávido pelo que for interessante. Conteúdos de qualidade, relevantes e que resolvam dores dos seus potenciais consumidores são ferramentas fundamentais para que seu planejamento de marketing tenha sucesso. Para saber mais sobre Marketing de Conteúdo, confira o nosso post AQUI.

Crescimento | Amplie seu negócio no universo digital com ferramentas de crescimento de segmento. O aumento orgânico (esqueça aqueles seguidores que você pagou para ter e nem sabe se existem) da sua base de seguidores/curtidas significa maior possibilidade de alcançar seu cliente. Parcerias com empresas de outro segmento, promoções e concursos culturais são exemplos de ações que podem ser adotadas para fazer seu negócio crescer.


Agora que você já sabe boa parte dos conceitos que permeiam o marketing nas redes sociais, fica mais simples entender como agir e planejar seus próximos passos, né?

Se você acha que isso tudo faz sentido para o seu negócio e quer saber um pouco mais sobre como colocar em prática, estamos por aqui, viu! É bem fácil: chama a Gama e bóra tomar um café para saber como a gente pode te ajudar 😉